Comer de forma descontrolada, exagerada e rapidamente. Comer até sem fome, ou somente por impulso. Seria falta de determinação para emagrecer? Gula? Ausência de disciplina? Nem sempre. Este tipo de comportamento pode estar ligado a um transtorno alimentar bem sério. Hoje vamos falar sobre isso: como vencer a compulsão alimentar.


A compulsão não é um simples e ocasional exagero. São episódios que acontecem de forma frequente e se caracterizam pelo ato de comer sem controle, em uma quantidade muito maior do que o normal e num período muito curto. Não se trata de saborear algo com prazer, com vontade e sentindo os sabores.

Na verdade, a pessoa come tão rápido que muitas vezes nem mastiga direito, mal sente o gosto da comida. Geralmente está tentando aliviar – ainda que temporariamente – uma enorme ansiedade interna por meio da comida.

Quem sofre de compulsão pode, em um único episódio, comer tudo que tem na geladeira. Depois disso, partir para o freezer, comendo tudo gelado mesmo, sem esquentar. Pode também fazer combinações estranhas, que não agradariam o paladar dentro de um contexto normal. Algumas pessoas comem até passar mal fisicamente.

Segundo Eduardo Aratangy, médico psiquiatra supervisor do AMBULIM, o Ambulatório de Bulimia e Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (HC), a compulsão alimentar é o mais comum dos transtornos alimentares.

Ou seja: estamos falando de algo bem preocupante. Trata-se de uma doença e nada tem a ver com “chutar o balde” de vez em quando, com uma suposta fraqueza ou falta de força de vontade. É preciso saber como vencer a compulsão alimentar com muita responsabilidade, por meio do diagnóstico correto e tratamento adequado.

O transtorno geralmente vem acompanhado de um ganho de peso significativo, e isso pode gerar várias complicações à saúde. Além disso, há consequências psicológicas, porque este descontrole traz sentimentos como vergonha, culpa, sensação de fracasso, angústia, autodepreciação e depressão.

Tanto que a incidência dos episódios é mais comum quando a pessoa está só, longe dos olhares de amigos, familiares e companheiros, para evitar o julgamento alheio.

Como vencer a compulsão alimentar? Com ajuda profissional especializada!

Compulsão é uma doença que não se vence sozinho: se você sente que está indo por este caminho de perda de controle diante da comida, busque ajuda!

É preciso ter apoio multidisciplinar, justamente porque as causas deste transtorno são multifatoriais. Envolvem aspectos fisiológicos, psíquicos e sociais. Para o tratamento ter sucesso, precisa ser apoiado por um time composto por médico, nutricionista e psicólogo.

Eles estão aptos para fazer uma análise profunda do comportamento da pessoa, em busca das raízes do problema. A partir disso, o paciente poderá voltar a escutar mais seu corpo e tomar as rédeas da sua alimentação gradativamente.

Dieta aumenta o risco de compulsão

Já está comprovado que fazer uma dieta restritiva aumenta as chances de se desenvolver compulsão alimentar. Isso porque elas alimentam um ciclo bastante perigoso para a saúde do corpo e da mente.

Ao cortar drasticamente a quantidade de calorias ingeridas diariamente, ou então, excluir grupos alimentares inteiros (por exemplo, em dietas que proíbem o consumo de carboidrato), a pessoa se expõe a uma restrição muito grande.

Emagrece, mas não consegue manter a privação. Volta a comer tudo de novo, só que em maior quantidade (porque essa abstinência aumenta a vontade de comer) e acaba exagerando. O exagero aumenta a culpa. E a culpa chama para a próxima dieta. É um ciclo sem fim. Difícil viver assim, não?

Sendo assim, minha dica mais importante sobre como vencer a compulsão alimentar é: esqueça as dietas restritivas. Além disso, não faça dieta por conta própria. Isso também é uma porta de entrada para se desenvolver o transtorno, ou, se já tiver com o comer transtornado, piorar ainda mais sua situação.

Consulte sempre um profissional de saúde para reavaliar sua alimentação como um todo e chegar ao seu peso com saúde, sem sofrimento.

Busque comer com qualidade, respeitando certa rotina. Evite comer por questões emocionais, no entanto, permita-se atender às vontades do corpo, sempre com moderação e consciência.

Se está insatisfeito com sua relação com a comida, não pense duas vezes em procurar ajuda de um nutricionista. Resolver estas questões é algo fundamental para uma melhor qualidade de vida e uma consequente paz interior.

Bon appétit!

Além de descobrir como vencer a compulsão alimentar, veja também outras medidas para melhorar sua relação com a comida:

Que tal conhecer o meu programa online Efeito Sophie no Comer Emocional? Ele foi pensado para te ajudar a descobrir os gatilhos do seu comer emocional e te ensinar passos simples para diminuir ou até eliminar esse comportamento. Mude a sua relação com a comida e viva melhor. Saiba mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *