Todos os dias, somos bombardeados com a ideia equivocada de que só é bonito quem é magro. Enquanto algumas pessoas conseguem resistir à essa pressão que aparece nas capas de revista, no Instagram e na TV, outras transformam a busca pelo tal “corpo perfeito” em um sofrimento real. Hoje vou falar um pouco sobre o que é anorexia (*).

Infelizmente, vivemos um momento em que a magreza excessiva é colocada como um padrão obrigatório, quase como um “sonho de consumo”. Principalmente entre as crianças e adolescentes, que ainda estão formando seus valores e sua personalidade.

Vemos vídeos e fotos de crianças reclamando que estão gordas e achamos até “engraçadinho”, mas por trás disso está a cultura das dietas, que vem interferindo muito negativamente na forma como as pessoas se enxergam diante do espelho.

Os transtornos alimentares geralmente começam de uma simples intenção de perder peso a qualquer custo.

E ainda falta informação sobre esse tema. Muitas pessoas não sabem o que é anorexia e o quanto ela pode trazer consequências negativas para a saúde física e mental de uma pessoa.

Trata-se da doença psiquiátrica que mais mata, e isso é muito grave. Portanto, vamos entender melhor esse quadro: quanto mais se fala sobre o assunto, maiores as chances de prevenir que este transtorno se desenvolva ou evolua.

O que é anorexia?

A anorexia é caracterizada pela busca incansável pela magreza e um medo descontrolado de engordar. Com a intenção de perder peso, a pessoa começa a tomar atitudes drásticas. Por ser um transtorno multifatorial, existem inúmeras razões que levam a esse tipo de postura.

Podem estar ligadas a questões genéticas e fisiológicas, ou até mesmo relacionadas ao ambiente que a pessoa vive (por exemplo, histórico de abusos ou da convivência com pessoas e universos que supervalorizam a magreza).

Pressão social e aceitação corporal

Agora que você já sabe o que é anorexia, vale entender qual tipo de público está mais vulnerável a esta condição.

Na verdade, qualquer pessoa pode vir a desenvolver o transtorno, mas vemos casos mais frequentes de anorexia na adolescência, justamente por estarem na fase de mudança do corpo e atravessando diversas “provações” para viver em sociedade: trabalho, escola, início da vida sexual, etc.

Ainda nessa temática, aconselho que você veja também esse vídeo sobre Anorexia Nervosa:

Quando começar a se preocupar

Mais importante do que saber o que é anorexia é conseguir identificá-la o quanto antes, para que o quadro não piore. Como qualquer outra doença, o diagnóstico precoce representa maiores chances de sucesso no tratamento. Então, vale ficar de olho em alguns sinais da anorexia.

Uma mudança bastante perceptível é no comportamento diante da comida. É frequente a preocupação excessiva com calorias, com dietas super restritivas e jejuns prolongados. A quantidade de comida no prato passa a ser cada vez menor. Algumas pessoas passam até a se isolar e comer sozinhas, para que ninguém fique “vigiando” seus atos.

Tudo isso também pode vir acompanhado do uso de laxantes, diuréticos e moderadores de apetite; vômitos voluntários e uma carga de atividade física excessiva, sempre em busca de “queimar” o que comeu.

Essas medidas podem resultar em uma perda brusca de peso, e alguns pacientes passam até a usar roupas largas para não despertar a atenção de familiares e amigos.

Outro sinal de alerta importante é o eterno descontentamento com o corpo e a obsessão com o peso. É comum a pessoa se pesar o tempo todo e se enxergar muito maior na frente do espelho, mesmo que esteja dentro de um peso normal para sua altura e idade.

Do ponto de vista psicológico, são comuns comportamentos como alterações bruscas de humor, irritabilidade e descontrole emocional. Quando ouvimos falar sobre o que é anorexia, geralmente o foco vai para a saúde física, que realmente fica debilitada. Mas é bom lembrar que este transtorno também traz um enorme sofrimento mental.

Consequências físicas e emocionais

A anorexia desencadeia uma série de sequelas físicas e emocionais.

O baixo peso pode gerar não só a desnutrição, como também anemia, distúrbios metabólicos e hormonais, hipotermia (queda na temperatura do corpo), bradicardia (batimento lento do coração), aumento do colesterol, depressão, ansiedade e muitas outras consequências sérias para a saúde do corpo e da mente.

Fazendo as pazes com o corpo

Sabendo o que é anorexia, e tudo o que ela gera de negativo na vida de uma pessoa, vale a pena reavaliar a relação com o corpo e com a comida e passar a questionar essa ditadura da magreza!

Não deveríamos nos preocupar tanto com medidas e com peso, mas sim, com a nossa saúde. Vale a pena tentar fazer um trabalho de autoaceitação para não entrar na obsessão com o própria imagem. E antes de tudo não cair na armadilha das dietas restritivas.

E se você reconhece um ou mais sintomas citados neste artigo entre pessoas que convivem com você, estenda a mão! Juntos somos mais fortes e podemos resgatar o prazer de comer sem culpa.

Bon appétit!

(*) Existe uma diferença conceitual entre “anorexia” e anorexia nervosa”. A palavra “anorexia” refere-se à falta de apetite ou de fome, que pode decorrer de alguma doença ou efeito colateral pelo uso de medicamentos. Nesse caso, a perda de peso é significativa e involuntária. Neste artigo, estamos falando sobre o transtorno alimentar cujo termo clínico é “anorexia nervosa”, mas usamos somente “anorexia” pois é o termo popularmente mais conhecido.

Agora que você já sabe o que é anorexia, veja esses outros artigos sobre comportamento alimentar que separei para você:

Esse conteúdo te ajudou? Comente abaixo nos comentários o que você achou:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *