Comportamento Alimentar

Saiba identificar de onde vem sua compulsão por doces

Dentro das preocupações sobre alimentação e dieta, uma das coisas que mais atormentam as pessoas é a sensação de compulsão por doces. Muitas vezes, a dificuldade em controlar essa vontade intensa acaba virando um problema.

Neste artigo, quero explicar um pouquinho sobre a origem desse desejo para melhorar a relação das pessoas com o doce: açúcar não é veneno, não é uma droga, como tem sido falado por aí.
Mas é fato que pode causar uma certa dependência: quanto mais você come, mais quer comer. Por isso é interessante identificar alguns gatilhos que podem desencadear esta sensação, para aprender a lidar com ela de forma tranquila e sem estresse.

De onde vem a compulsão por doces?

De um modo geral, a compulsão por doces pode ter origem física, emocional ou comportamental. Mas na verdade todos estes fatores estão interligados, e você vai entender abaixo por quê. Reuni aqui algumas das origens possíveis para essa vontade exagerada de doce. Vamos lá!

Dieta, restrição, jejum ou má alimentação

Comida é nosso combustível. Se você está fazendo dieta, ingerindo poucas calorias, cortando grupos alimentares inteiros, ou fazendo jejum, está colocando seu corpo em estado de alerta e estresse. O mesmo acontece com quem não dá muita atenção para a alimentação e acaba comendo “qualquer coisa” ao longo do dia.
Nestes casos, seu corpo pode sentir carência de energia ou de alguns nutrientes. E ele sabe que açúcar é uma fonte de prazer e energia imediata, por isso vai “gritar” mais por isso. Você pode até tentar comer algo com adoçante para tentar enganar essa vontade, mas provavelmente a compulsão por doces vai continuar lá: o cérebro é esperto. Quanto mais vai tentar proibir esses alimentos mais eles vão persistir na sua mente.
Então, reavalie sua alimentação como um todo e autorize-se a consumir açúcar de forma moderada, com consciência e sem culpa. Dessa forma, essa sensação de desespero por um docinho tende a diminuir.

A TPM

Durante a Tensão Pré-Menstrual, existe uma flutuação dos hormônios bastante significativa e isso pode afetar o humor. A fome também tende a aumentar. Para algumas mulheres, tudo isso é um gatilho para a vontade de doce. Como a TPM é uma fase realmente delicada, o ideal é conhecer melhor o próprio corpo: quando a tensão começa? Quando termina? Quanto tempo dura?
É legal respeitar o corpo e saciar a fome e as vontades, mas também vale a pena procurar outras fontes de prazer que não estejam ligadas somente a comer açúcar.

Angústia, cansaço, comer emocional

Algumas pessoas podem usar o doce como um conforto passageiro para os problemas emocionais. “Estou tão cansado hoje que eu mereço comer esta barra de chocolate inteira”. Já se viu nessa situação?
Isso é comum porque o corpo sabe que o açúcar libera uma sensação prazerosa. Mas é algo pontual… Esse alívio passa logo e a angústia continuará lá. Se você se identifica com esse quadro, saiba mais sobre fome emocional neste artigo.
Outra condição que pode aumentar a vontade e a compulsão por doces é o estresse. Então, que tal identificar o que anda causando tanta pressão e, na medida do possível, administrar melhor estes momentos? Isso fará bem para sua saúde como um todo e você tenderá a procurar menos o açúcar.

O poder do hábito

Todo dia depois do almoço, uma sobremesa. Toda noite, na hora da novela das oito, um chocolatinho. O poder do hábito é grande! Se você acostuma seu cérebro com repetições, ele vai estranhar quando você fizer algo diferente. De novo: não estamos falando de vício, mas sim, de uma necessidade urgente de resolver essa compulsão por doces.
O ideal aqui seria reeducar o paladar para consumir uma quantidade menor de açúcar diariamente. Não é necessário tirá-lo da alimentação de forma radical. Fazendo as pazes com o doce, você verá sua vontade diminuir. Gostoso é comer doces de vez em quando, com prazer, moderação e numa quantidade razoável, sem comprometer sua saúde ou seu peso.

Exagero ou compulsão?

Finalizo este artigo dizendo que a maioria das pessoas acha que têm compulsão por doces, mas na verdade o que elas vivenciam são apenas episódios de exagero. Compulsão” é coisa séria, é uma doença que deve ser tratada com acompanhamento multidisciplinar.
Ela é caracterizada pelo comer exagerado, em doses muito grandes, num espaço muito curto de tempo e com sensação de perda de controle.
O que a maioria das pessoas vivencia é exagero, não compulsão. E exagerar ocasionalmente não é nenhum pecado. Desde que você respeite seu corpo e saiba a hora de parar!
Bon appétit!
Agora que você consegue diferenciar exagero de compulsão por doces, que tal ler outros artigos que separamos?

Que tal conhecer o meu programa online Efeito Sophie no Comer Emocional? Ele foi pensado para te ajudar a descobrir os gatilhos do seu comer emocional e te ensinar passos simples para diminuir ou até eliminar esse comportamento. Mude a sua relação com a comida e viva melhor. Saiba mais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Para você
Curso online - Efeito Sophie no Comer Emocional

Vontade de comer doces no final do dia?
Conheça os vários tipos de fome e saiba lidar melhor com a fome emocional, aquela que te faz querer comer muitos doces quando chega o final do dia.

Cursos e programas para você

Descubra uma nova abordagem da sua alimentação e mude sua vida com essa metodologia aplicada em 3 cursos especiais.

É colega de profissão?

Descubra uma nova abordagem da nutrição e mude seu atendimento a pacientes.

Artigos Relacionados

Menu