Em março de 2015 a Organização Mundial de Saúde (OMS) lançou uma campanha para alertar sobre o excesso de açúcar que as pessoas estão consumindo. Segundo a OMS, deveríamos consumir uma quantidade de açucares de até 10 % do total das calorias diárias, em todas as fases da vida. 10% representa para um adulto mais ou menos 50g de açúcar ou seja 10 a 12 colheres de café. O documento destaca que, melhor ainda para a saúde seria reduzir para 5%, ou seja 25g por adulto por dia (5 a 6 colheres de café).


O açúcar não é somente aquele que você adiciona. Tem também aquele que vem já dentro dos alimentos que come. Na natureza os alimentos possuem poucos açucares, você vai achá-los principalmente em frutas e sempre junto com fibras, o que não é o caso dos alimentos processados pela indústria, especialmente os ultra-processados.

OMS debate excesso de açúcar nos alimentos industriais

A Organização recomenda ficar de olho nos açúcares escondidos nos produtos como bebidas doces, refrigerantes, sucos, iogurtes e bolachas. Existem também em produtos que não são considerados doces, por exemplo molho de tomate ou molhos para salada, ou ainda em alimentos salgados como salgadinhos. Têm também nos itens considerados como “saudáveis”, que são as barrinhas de cereais, bebidas lácteas, iogurtes gregos, etc …

A OMS pede uma melhor etiquetagem dos alimentos, informando sobre o teor de açúcares escondidos, e recomenda igualmente aos seus países membros “que iniciem o diálogo com a indústria alimentícia para que reduzam os açúcares escondidos na composição dos seus produtos”.

Vamos diminuir nosso consumo de açúcar?

Seguindo a OMS, o Brasil tem um consumo de açúcar 50% acima do que deveria. Um estudo mostrou aumento do consumo de bebidas doces nos brasileirinhos. Em algumas faixas etárias, bebidas doces representam, sozinhas, até 15% do total calórico, sem contar os doces, bolachas, etc…

De acordo com o Carlos Monteiro, professor de nutrição da Faculdade de Saúde Pública da USP, que participou do estudo da Organização Mundial da Saúde, “se você olhar a lista de ingredientes e o açúcar aparecer como primeiro ingrediente ou como segundo ingrediente, é sinal que o produto tem muito açúcar. Você pode ter açúcar, você pode ter açúcar de milho, você pode ter amido modificado, você pode ter mel, você pode ter dextrose. São vários açúcares sintetizados e que funcionam exatamente como açúcar.”

O professor alerta que, quanto mais nós acostumamos a comer tudo muito doce, mesmo com adoçante, mais necessitamos e acostumamos com o excesso de açúcar. É importante então educar o paladar. Frutas, por exemplo, ajudam nesse processo. São doces, mas não em excesso.

Eu concordo plenamente e acrescento aqui nomes como xarope de glicose, xarope de açúcar, açúcar invertido, açúcar liquido, farinha de arroz modificada…

Várias pesquisas mostraram que o excesso de açúcar é ligado à obesidade e a todas as doenças que decorrem disso, a diabetes e até a alguns tipos de câncer. O alerta vale para todo mundo, mesmo para quem não está com problema de peso.

Porém, não é para cortar todo o açúcar. Ele é um alimento que fornece energia e a sua falta pode até aumentar o risco de depressão. Você precisa, mas só precisa de um pouco. (Quem sofre de doenças como diabetes precisa tomar cuidados especiais. Procure o seu médico)

Vamos então diminuir o excesso de açúcar? Reeducar o nosso paladar e procurar qualidade? Quero mais qualidade, por favor! E você?

A revista Trip fez duas reportagens sobre o excesso de açúcar na alimentação, você pode acessar elas aqui: Não é só tirar o açúcar que todo mundo vai ficar magro e bonitoOs malefícios do açúcar no organismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *