Ficar sem comer parece ser o caminho mais óbvio para emagrecer. Por isso, muitas pessoas ficam curiosas e querem saber tudo sobre o jejum intermitente: prós e contras, qual o melhor protocolo, quantas horas “pode” ficar sem comer, quantos quilos é possível perder.

Eu não sou especialista nesse tipo de dieta, mas sim, em comportamento alimentar! Por esse motivo, não recomendo que as pessoas passem fome para alcançar o peso desejado.

É preciso ter senso crítico para filtrar as notícias de sucesso que você lê a respeito dos prós e contras do jejum intermitente, porque geralmente as histórias que são divulgadas falam só dos resultados rápidos, mas contam pouco sobre o processo e o que pode acontecer no longo prazo.

Pode ser que você tenha conhecido alguém que tenha se identificado com esse tipo de dieta e até conseguido perder alguns quilos, mas isso não quer dizer que vai funcionar com você e que seu corpo vai se acostumar e entender tantas horas de privação.

Parar de comer? Como assim?

Se você opta por uma dieta restritiva sem consultar um nutricionista, e, do dia para a noite, diminui drasticamente o seu aporte de calorias diário, poderá sim perder mesmo, mas também vai agredir seu corpo.

Lembre-se que o seu cérebro não sabe o que é dieta, muito menos o que é jejum intermitente. Sendo assim, ele entende a falta de comida da forma mais instintiva possível: o combustível acabou! Ou seja, sinal de perigo.

Isso pode gerar consequências negativas ao metabolismo, aumentando o risco de perder controle frente aos alimentos, ganhar peso e entrar para o efeito sanfona. Além disso, passar fome traz irritação, mau humor, e pode gerar consequências físicas como tontura, dor de cabeça e mal-estar.

Então, se formos investigar o jejum intermitente, prós, contras e todos os aspectos que envolvem esse método, temos que em primeiro lugar entender que esta também é uma dieta restritiva. E que não deveria ser adotada por conta própria, sem acompanhamento profissional.

Jejum intermitente: prós e contras

Mas afinal, o que a ciência diz sobre o jejum intermitente, prós e contras, consequências e possíveis resultados?

Existem diversos estudos nessa área, mas não há consenso quando o assunto é emagrecimento. Até porque estas pesquisas são feitas dentro de laboratórios, com roedores, em um ambiente bem diferente do que vivemos no dia-a-dia.

Mesmo as metanálises, que comparam os resultados de várias pesquisas, não confirmam que este tipo de dieta pode trazer grandes benefícios em termos de perda de peso.

Quando partimos para os benefícios ligados à saúde de um modo geral, os prós e contras do jejum intermitente também são tema de divergência entre os especialistas.

Algumas análises já mostraram que o método pode prolongar o tempo de vida, como nessa conduzida pela Harvard University – porém aplicada em células isoladas, não em humanos.

Outras também demonstram uma possível diminuição do risco de doenças cardiovasculares e uma aparente melhora dos níveis de colesterol, inflamações crônicas, doenças autoimunes e diabetes.

Ao mesmo tempo, se formos falar dos “contras”, é possível encontrar uma série de pesquisas que apontam efeitos negativos à saúde relacionados ao jejum intermitente. Como esse estudo feito pelo Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, que mostrou que o método de 24 por 24 horas aumentou o risco de diabetes em ratos.

Deu para perceber o quanto é complexo falar sobre prós e contras do jejum intermitente?

Essas contradições na área científica são comuns e compreensíveis, pois são precisos muitos testes para se chegar a possíveis conclusões.

Lembrando novamente que a maioria dos testes são feitos com roedores ou com humanos em condições muito específicas – não dá para transpor diretamente para a realidade de um ser humano. Ainda mais quando o assunto é jejum!

Fiz também um vídeo para discutir esse tema, veja só:

Vamos falar de comportamento?

Bom, agora que você já tem uma visão mais geral sobre os prós e contras do jejum intermitente, acho importante finalizar com o mais importante: o comportamento! Quero falar sobre o quanto dietas restritivas podem atrapalhar sua relação com a comida e tornar a vida mais difícil.

Eu desencorajo qualquer método que incentive passar fome, porque isso pode aumentar a preocupação em torno da comida e a sensação de culpa, conduzindo a episódios de exagero e compulsão.

Se você está lutando contra a balança, aqui vão algumas dicas:

  • evite ficar sem comer por muitas horas
  • procure ouvir mais o seu corpo e respeitar sua fome
  • faça as refeições principais colocando qualidade no prato, com comida de verdade e de preferência caseira. Isso vai te ajudar a manter o apetite controlado.

Além disso, não encare a comida como sua inimiga, como algo que você tenha que evitar ou fugir. Cada vez que você coloca um alimento no lugar de “proibido” ou “engordativo”, você aumenta as chances de perder o controle a qualquer momento.

Lembre-se que comer não é só se nutrir. É também um ato social – é um prazer dividir a mesa com pessoas queridas. Será que vale a pena abrir mão desses momentos em nome de dietas restritivas?

Pense nisso e mude a forma de se relacionar com a comida. Ao invés de ficar perseguindo regras sobre a hora que pode ou não pode comer, ouça o seu relógio interno. Seu corpo é perfeito e vai te avisar quando estiver precisando de energia!

No meu programa online Efeito Sophie, eu debato sobre esses aspectos e muitos outros para ajudar você (e muitas outras pessoas que também passa por esse desafio) a rever o seu relacionamento com a comida.

São seis semanas de vídeo aulas, materiais e atividades online que vão te ajudar nesse processo com dicas práticas e fáceis de aplicar no dia a dia. Sem estresses e no seu ritmo, você voltará a ter prazer em comer e chegará ao seu peso saudável de forma gradual e duradoura.

Vamos juntos nessa? Comece agora mesmo, se inscreva no meu programa online Efeito Sophie.

Bon appétit!

Agora que você já viu os prós e contras do jejum intermitente, veja também esses artigos que separei para você:

E você, quais caminhos tem seguido para manter uma alimentação equilibrada? Compartilhe comigo aqui embaixo no espaço de comentários e vamos continuar essa conversa.

3 thoughts on “Saiba mais sobre o jejum intermitente: prós e contras

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *