Comer é um dos maiores prazeres da vida. Já imaginou se deparar com o problema da falta de apetite? Perder a vontade de comer as coisas, não salivar diante de um prato bonito, não sentir vontade de degustar um bolo que acaba de sair do forno?

Pois saiba que, ainda que estejamos vivendo uma era em que o mundo inteiro só pensa em emagrecer, algumas pessoas relatam essa triste situação, que exige uma investigação mais aprofundada, de preferência com acompanhamento de um profissional de saúde.

Mas o que pode ser a falta de apetite?

Pretendo aqui oferecer algumas orientações para quem está enfrentando este problema. A princípio, seria interessante verificar se a falta de apetite vem acompanhada de perda de peso ou não.

Se a resposta for afirmativa, é preciso procurar um médico para investigar possíveis problemas de saúde. A fome é uma resposta positiva do organismo; se há falta de apetite, algo não anda bem e merece atenção.

Posso incluir aqui também os problemas emocionais que podem tirar a fome, como depressão, ansiedade, estresse e outras síndromes que desestabilizam o ser humano a ponto de desligá-lo das suas necessidades vitais. Neste caso, não hesite: é preciso buscar ajuda de um psicólogo ou nutricionista para resolver essas questões internas e recuperar o prazer de comer gradativamente.

Se você não está com nenhum problema de saúde (nem físico, nem psíquico), ou se não há nenhum outro fator externo influenciando sua fome (alguns remédios, por exemplo), pode haver algum desequilíbrio nos seus comportamentos diários por trás dessa falta de apetite.

O segredo para falta de apetite pode simplesmente ser fazer as pazes com a comida e o corpo. Conheça o curso online Efeito Sophie que desenvolvi para te ajudar a resgatar os sinais do seu corpo e o prazer de comer!

Vamos falar um pouco mais sobre isso?

De dia, falta de apetite. A noite, exagero!

Uma reclamação que ouço muito no meu consultório é das pessoas que se esquecem de comer ao longo do dia, por conta de uma agenda apertada ou outros afazeres, e descontam tudo à noite, comendo demais.

Muita gente põe o ato de comer no automático, e para de refletir sobre o que está colocando no prato. Essas pessoas tendem a confundir este tipo de comportamento com falta de apetite. Na verdade, o que ocorre nestes casos é que elas param de escutar os sinais do corpo por priorizar outras coisas ao longo do dia.

Uma vida muito corrida reflete nesse desconexão mesmo: é reunião na hora do almoço, trânsito, pouco tempo para cozinhar. Tudo isso acaba jogando o momento da alimentação lá pra baixo da lista de prioridades.

Isso é o que chamo de “perda do comer consciente“, ou seja, a falta da consciência alimentar. As dietas restritivas contribuem para este quadro.

Muitas vezes a fome até vem, e o apetite se manifesta se a pessoa tivesse diante de um apetitoso prato de comida, mas a hora do almoço já passou e ela acaba beliscando a tarde toda, preferindo parar para comer com calma quando chegar em casa.

Isso é uma pena!

Porque a fome é sinal que o corpo necessita de nutrientes para realizar suas funções vitais. Então, que tal rever o seu dia a dia e avaliar se o que você sente é falta de apetite, ou se na verdade anda negligenciando o sinal de fome no momento das refeições por conta da correria? Tente ouvir mais seu corpo para entender se é perda de apetite mesmo.

Gradativamente, é possível mudar hábitos e recuperar esta conexão com o corpo. Cuide dele! Ele é único e perfeito! Cabe a você fazer a manutenção desta incrível máquina.

Assista ao vídeo que publiquei no meu canal YouTube sobre o tema:

Falta de apetite ou medo de comer?

Por fim, é bom lembrar de outra confusão bastante recorrente: o que você sente é falta de apetite ou medo de comer? Sim, medo de comer! Isso existe!

Eu sempre digo que vivemos uma era com tanta informação sobre os alimentos, e ironicamente é o momento em que as pessoas têm mais dúvida sobre o que comer.

Isso se deve em grande parte à ditadura das dietas, que impõem conceitos equivocados sobre o que “pode” e o que “não pode”, “alimentos do bem” e “alimentos do mal”. A população acaba assustada e insegura quanto às suas escolhas alimentares.

Veja também: O que são alimentos naturais e industrializados? Existe bom e ruim?

Se você anda sofrendo deste mal, tente filtrar as informações que ouve por aí, e passe a ouvir mais o seu próprio organismo:

  • O que você mais gosta de comer?
  • Que horas gosta de comer?
  • Qual a quantidade que seu corpo realmente precisa?

Procure incluir progressivamente essas reflexões no seu dia a dia, este é o segredo para você fazer as pazes com a comida e com o seu corpo. Não tenha medo: ter apetite é sinônimo de saúde e sobretudo é uma fonte inesgotável de prazer!

Bon appétit!

Leia também:

Falta de apetite: volte a ouvir os sinais de fome e saciedade

Que tal conhecer meu curso online Efeito Sophie, que ensina a transformar sua relação com a comida e a voltar a escutar os sinais do seu corpo?

São seis semanas com vídeos e materiais que vão explicar sobre hábitos alimentares, e como recuperar o prazer de comer. Clique aqui e se comece a mudança agora mesmo, vamos juntos nessa mudança!

Lembre-se, o programa online não substitui o acompanhamento médico ou nutricional presencial. Procure sempre um especialista em sua região para cuidar da sua saúde. Quer encontrar um profissional capacitado em minha metodologia? Conheça a Rede Sophie, são mais de 200 profissionais em todo o Brasil formado pelo curso Nutricoach Método Sophie.

145 thoughts on “Falta de apetite: o que fazer diante desse problema? O que pode ser?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *