Dietas, quantidade de calorias dos alimentos, seguir regras sobre o que comer a cada hora do dia. Tudo isso vai contra os nossos instintos, você concorda? Na minha trajetória, pude comprovar que a chave para se chegar a um peso saudável é melhorar a sua relação com a comida e fazer as pazes com os alimentos e seu corpo, ou seja, comer melhor e não menos. Mudar o comportamento. Por isso, hoje quero falar sobre o conceito de alimentação consciente e intuitiva.

A forma como comemos é tão importante quanto o que comemos. Então, de nada adianta ficar obcecado por pratos saudáveis, quantidade de calorias ou somente a qualidade nutricional da sua rotina alimentar se você não vivencia de forma plena o momento da refeição.

Quando o assunto é alimentação consciente e intuitiva, existem duas bases importantes que podemos nos inspirar, pegar seus princípios e tentar colocar em prática no dia a dia – o Intuitive Eating (Comer Intuitivo) e o Mindful Eating (Comer Consciente). Vamos entender mais sobre cada um?

Alimentação consciente e intuitiva através do Intuitive Eating

As americanas Evelyn Tribole e Elyse Resch são as maiores referências atualmente nesse assunto. Há mais de 30 anos, elas criaram o conceito de Intuitive Eating, que visa a mudança comportamental para uma abordagem mais intuitiva e uma melhor relação das pessoas com os alimentos e com o corpo.

A alimentação consciente e intuitiva sugerida pelas autoras parte de dez princípios desenhados pelas especialistas. Vou colocá-los de forma resumida aqui, justamente porque este discurso de mudança comportamental diante da comida está totalmente alinhado à minha linha de trabalho!

Os 10 princípios do Intuitive Eating

  • Rejeite a mentalidade da dieta
  • Honre sua fome
  • Faça as pazes com os alimentos
  • Desafie a “polícia dos alimentos” (não existem alimentos “bons” ou “ruins)
  • Respeite sua saciedade
  • Descubra a satisfação ao comer
  • Honre seus sentimentos sem usar alimentos
  • Respeite seu corpo (aceite sua genética)
  • Exercite-se
  • Honre sua saúde

Repare que esses princípios não passam pela qualidade do alimento e por quantidades em si. Eles têm mais a ver com a relação das pessoas com a comida, e não com a composição do que se come.

Porque tão importante quanto comer alimentos nutritivos é também a forma como você come, a forma como seu corpo interpreta este alimento. Então, vamos ao Mindfulness, que tem uma visão bem parecida com essa!

O segredo não é restrição/dieta, mas procurar comer melhor. Conheça o Efeito Sophie!

Alimentação consciente e intuitiva através do Mindfulness

Na língua portuguesa, Mindfulness pode ser traduzido como “atenção plena”, algo como “estar presente”. Deriva da prática budista, que justamente tem como um de seus preceitos centralizar o ser humano em suas sensações, seus ritmos biológicos (como respiração e ritmo cardíaco), vontade e desejos.

Você consegue perceber o quanto isso tem a ver com a ideia de uma alimentação consciente e intuitiva? Não à toa, derivou-se daí o conceito de Mindful Eating, que é essa mesma base aplicada aos comportamentos em torno do ato de comer: estar presente no momento da refeição.

Portanto, se você pretende mudar sua relação com a comida, vale a pena prestar atenção nestes conceitos e tentar praticar, de forma gradual, até que novos hábitos passem a permear seu comportamento à mesa.

E isso é ótimo porque você pode retomar o prazer ao comer e, de quebra, alcançar alguns benefícios ligados a essa mudança comportamental, como o aumento da sensação de autocontrole; a redução da ansiedade, do estresse e dos episódios de exagero; maior aceitação; maior consciência com relação à fome e à saciedade. Por consequência, pode ver até o seu peso diminuir se estiver com excesso.

Vamos a algumas dicas práticas ligadas ao Mindful Eating:

  • Mastigação: use os cinco sentidos para perceber as cores, aromas e texturas dos alimentos. Ouça os sons ao seu redor e observe o momento de forma contemplativa, mastigando devagar.
  • Entre uma garfada e outra: respire! Parece uma dica boba mas ajuda muito a comer de forma mais consciente.
  • Coma melhor, e não menos! Esqueça as calorias, as regras. Concentre-se na qualidade e no sabor dos alimentos.

Dessa forma, você terá mais consciência sobre os sinais de fome e saciedade e a alimentação consciente e intuitiva passará a fazer parte da sua rotina para melhorar sua saúde e, por consequência, seu peso.

Bon appétit!

Veja também:

Que tal conhecer meu método Efeito Sophie, que ensina a transformar sua relação com a comida e a voltar a escutar os sinais do seu corpo? São seis semanas com vídeos e materiais que vão explicar sobre hábitos alimentares, e como recuperar o prazer de comer. Saiba mais!

5 thoughts on “Alimentação consciente e intuitiva é chave para vida mais leve

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *