Antes de saber como tratar a desnutrição, você pode querer saber em detalhes o que é essa doença.

A desnutrição é um distúrbio que envolve desde a carência de nutrientes específicos até as consequências da privação total do alimento.

O tratamento depende dos fatores associados à desnutrição.

Algumas orientações gerais podem auxiliar no tratamento, como falaremos a seguir, mas não pode substituir à uma consulta com um médico ou nutricionista.

O tratamento da desnutrição não é só comer mais

Quando pensamos em como tratar a desnutrição, imaginamos que seja apenas “comer mais para suprir as necessidades”, mas não é bem assim.

Primeiro, é preciso saber qual a causa da desnutrição, se é derivada do “comer mal” ou “não comer”, ou se é decorrente de alguma doença.

(E lembre-se que comer bem não precisa ser complicado nem caro!)

tipos de desnutrição causados pelo aumento da demanda de energia pelo corpo ou pela dificuldade de digestão e absorção de nutrientes.

Nos casos de desnutrição em que a pessoa não come ou come mal, é essencial investigar o porquê dessa situação.

Pode ser falta de apetite, efeito colateral de algum medicamento, reflexo de dietas restritivas, e até algo alarmante, como a anorexia.

Sendo assim, além das mudanças para se ter uma boa alimentação e voltar a “comer normal” – que explico no vídeo abaixo – é preciso “tratar” a causa.

Esse tratamento pode demandar uma ajuda profissional especializada, que deve incluir o médico, o psiquiatra, o psicólogo e o nutricionista.

Como tratar a desnutrição com qualidade e variedade

De uma forma geral, com relação aos alimentos, a ideia é possibilitar a reposição, manutenção e reserva de nutrientes no organismo, afinal é preciso resgatar o prazer de comer.

Isso significa que, para tratar a desnutrição, deve-se variar nas refeições saudáveis, isto é, baseadas em alimentos in natura, com muita cor e sabor.

Pensando em variedade de sabores, os temperos naturais são muito bem-vindos no cardápio, por exemplo.

Como? Tratar a desnutrição com ervas e especiarias como o tomilho, a salsa, a cebolinha, a sálvia, o alecrim, o manjericão, o coentro, a cúrcuma, a canela, o gengibre, o cravo – entre outras opções –  trazem um toque diferente às refeições do dia a dia.

Esses temperos podem aguçar o paladar e melhorar a aceitação, além de possibilitar a redução de sal nas preparações.

É uma estratégia que pode beneficiar toda a família.

Dependendo da situação, a consistência dos alimentos deve ser modificada.

Quando há dificuldade em mastigar ou engolir – no caso de idosos, doenças específicas, efeito colateral de tratamentos, etc – é necessário transformar as preparações sólidas em pastosas ou líquidas.

Essa mudança na consistência permite que os alimentos sejam ingeridos com mais facilidade, melhorando a resposta do corpo à desnutrição.

Com relação às quantidades, fracionar as refeições é uma alternativa para voltar a comer sem o risco de intercorrências, como a diarreia.

Além do mais, quando a pessoa não come ou come pouco, independente do motivo, pode
se sentir saciada muito mais rápido em uma refeição grande como almoço ou
jantar.

Assim, uma forma de como tratar a desnutrição é fazendo pequenas refeições ao longo do dia, garantindo que o corpo receba nutrientes e energia de forma adequada.

Aos poucos, com o avanço do tratamento, as quantidades ingeridas vão aumentando.

Assim, é possível reduzir o número de refeições e adaptar à rotina normal da pessoa. Com o tempo, alimentação vai ficando mais consciente e intuitiva.

Devo lembrar que é um processo lento e gradual, onde as limitações do corpo devem ser respeitadas.

Tentar “forçar” a comer não adianta e pode até atrapalhar a evolução do tratamento.

Outro ponto importante é a organização, fator fundamental para o sucesso do tratamento da desnutrição.

Ter à disposição as opções frescas e variadas que falamos acima, só é possível indo com frequência ao mercado, ao sacolão, ou à feira.

Para tratar a desnutrição, diga “Xô” aos microorganismos!

Quando o corpo está desnutrido, o sistema imune está consequentemente fragilizado.

Nessa situação, como tratar a desnutrição?

Os alimentos mal lavados, mal cozidos ou mal acondicionados podem ser uma porta de entrada para microorganismos no corpo, gerando infecções e doenças.

Sendo assim, os cuidados com a higiene na manipulação dos alimentos devem ser dobrados.

Durante a compra, é importante verificar o prazo de validade dos alimentos, bem como o estado da embalagem, ou mesmo se o alimento não está com a cor, cheiro ou consistências alteradas.

Em casa, a conservação dos alimentos deve ser feita de maneira adequada, em geladeira ou à temperatura ambiente (em local fresco e seco), dependendo do tipo de alimento.

No momento do preparo de refeições, a cozinha, a bancada e os utensílios devem estar limpos e livres de restos de alimentos.

Frutas, verduras e legumes devem ser lavados e higienizados, de preferência com solução de hipoclorito. As carnes, aves e peixes devem ser bem cozidos.

As preparações devem ser servidas assim que estiverem prontas, e as sobras guardadas em recipientes fechados na geladeira.

Casos especiais de tratamento da desnutrição

Quando a desnutrição é mais grave ou está associada a uma doença que demande cuidados especiais, o “como tratar a desnutrição” também merece uma atenção especial e especializada.

Desse modo, a alimentação pode ser complementada com suplementos ou fórmulas, administrada através de uma sonda ou mesmo os nutrientes podem ser administrados diretamente na veia.

Essas vias diferentes de alimentação equilibrada podem facilitar a absorção e a utilização dos nutrientes pelo corpo.

Porém, só devem ser administradas de acordo com a orientação da equipe profissional que acompanha o caso.

Em suma, só é possível saber como tratar a desnutrição de forma eficaz com a avaliação detalhada do caso, analisando todos os fatores que possam ter influenciado no desencadeamento do distúrbio.

Somente os profissionais qualificados podem traçar estratégias para o tratamento da desnutrição. Já a família é responsável por dar todo apoio, carinho e atenção à pessoa em tratamento.

Com todo o amparo necessário, a desnutrição sai de cena e o resultado é um corpo nutrido e com saúde!

Tratada a desnutrição, agora tome as rédeas da sua alimentação

Se você busca melhorar sua alimentação para aprimorar sua qualidade de vida, eu aconselho que você conheça o meu programa online Efeito Sophie.

Nele, eu não vou falar sobre as últimas dietas da moda, alimentos milagrosos e fórmulas mágicas de emagrecimento – até porque não acredito em nada disso.

Ao invés, eu vou te ajudar a identificar o seu comportamento e relacionamento diante da comida.

A minha missão é fazer com que você possa encarar a alimentação como algo prazeroso, sem estresses e muito menos culpa.

Com algumas dicas práticas, você poderá alcançar o SEU peso saudável, de forma gradual e duradoura.

Vamos juntos nessa? Se inscreva e comece hoje mesmo o programa online Efeito Sophie!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *