Introdução Alimentar

Como iniciar a alimentação do bebê? Veja dicas práticas

Saber como iniciar a alimentação do bebê é um dos princípios básicos para um bom desenvolvimento físico, motor e psíquico da criança. O ideal é que os pais dediquem atenção especial à essa fase, já que ela contribuirá para formação dos hábitos alimentares e até mesmo o comportamento diante da comida para o resto da vida!
A recomendação geral é que a amamentação seja oferecida exclusivamente até os seis meses de idade, pois o leite materno possui todos os nutrientes necessários para alimentar e hidratar a criança.
Porém, é importante lembrar que, a introdução alimentar de crianças que usam fórmulas infantis deverá seguir o mesmo padrão preconizado por aquelas que estão aleitamento materno exclusivo.
A partir do sexto mês de vida, outros alimentos além do leite começam a fazer parte do cardápio do bebê e é assim que um novo mundo de cores, sabores e texturas começa a se abrir para ele. Mas para tudo fluir bem e com tranquilidade é preciso não ter pressa e respeitar o tempo do bebê!
Será através dos sinais de prontidão que o bebê começará a apresentar que você saberá quando e como iniciar alimentação do bebê.

Como iniciar a alimentação do bebê: dicas práticas

1) Porque esperar até os 6 meses para iniciar a introdução alimentar?

Por volta do sexto mês de vida espera-se que o bebê esteja com seu desenvolvimento fisiológico e neuropsicomotor maduros o suficiente para receber alimentos sólidos. Por isso, antes de se iniciar a alimentação complementar, é importante estar atento às características que o bebê irá sinalizar demonstrando estar pronto para iniciar a introdução alimentar.
O bebê estará pronto para receber alimentos sólidos quando passar a:

  • Sustentar a cabeça.
  • Sentar sem apoio (ou quase).
  • Levar objetos em direção à boca.
  • Reduzir o reflexo de protrusão da língua (língua para fora da boca).
  • Começar a mostrar interesse ao ver a comida.
  • Começar a fazer movimentos de mastigação, mesmo antes de surgirem os primeiros dentes.

Além das características pontuadas acima, nessa fase o bebê também  será capaz de produzir enzimas digestivas em quantidades suficiente para começar a digerir uma maior variedade de alimentos.

2) Que alimentos podem ser oferecidos?

Durante a fase da introdução alimentar, o bebê está criando a sua memória do paladar. Portanto, é importante que ele seja apresentado a maior variedade possível de alimentos naturais.
Ao iniciar a alimentação do bebê, é importante optar por uma alimentação variada e colorida que irá contribuir para que a criança consuma todos os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.
Agora, vamos à algumas dicas nutricionais para garantir o crescimento adequado do filhote.

O que seu bebê precisa

→ Variedade de alimentos in natura: tente incluir todos os grupos alimentares (quadro 1) nas refeições oferecendo uma grande variedade de alimentos naturais. Essa é uma fase muito rica de experimentações e é um excelente momento para a família toda entrar na dança!
Aproveite a oportunidade e prove os alimentos que você irá oferecer ao bebê, afinal a intenção é que todos os familiares se alimentem de forma variada e saudável.
como iniciar a alimentação do bebê
Fonte: Ministério da Saúde 2002 – Dez passos para uma alimentação saudável para crianças brasileiras menores de dois anos
→ Água: sempre hidrate seu bebê com água filtrada. Ele não precisa de suco de frutas, chás e refrigerantes, só água pura já é mais do que suficiente!

O que seu bebê não precisa

→ Temperos em excesso: nada de temperos picantes, muito menos industrializados. Se quiser garantir sabor às receitas, prefira as ervas naturais ou desidratadas.
→ Sal em excesso:  A quantidade de sal (cloreto de sódio) contida no interior dos alimentos  já é suficiente para suprir a necessidade nutricional de sódio do bebê. O IDEAL é que seu filho sinta o sabor natural dos alimentos e se acostume com eles!
Caso a família opte em oferecer a mesma comida da casa para o bebê, a alimentação deve ser feita com alimentos in natura e minimamente processados, preparada com temperos naturais, com uma quantidade mínima de sal e sem o uso de alimentos ultraprocessados.
→ Açúcar de adição: Nós já nascemos com uma predisposição maior para o doce, por isso, o melhor é não oferecer antes dos 12 meses para que o bebê não perca o interesse pelo sabor verdadeiro dos alimentos.
→ Gordura em excesso: Não é recomendado oferecer alimentos fritos ao bebê. Mas não vá retirar a gordura completamente da comida achando que faz mal, certo? A gordura também é um nutriente importante e, com moderação, deve estar presente desde o início da introdução alimentar. Você pode colocar um fio de azeite ou óleo na comida depois de pronta ou usá-los para refogar.
→ Alimentos ultraprocessados: por serem ricos em sódio, gordura, açúcar e componentes químicos, não são interessantes para o seu bebê. Inclui-se nessa categoria sucos industrializados, refrigerantes, macarrão e sopas instantâneas, bolachas, biscoitos, achocolatados, etc.

3) Como iniciar a alimentação do bebê? Respeite seu tempo

Há algum tempo era muito comum aconselhar que a introdução alimentar começasse pelas frutas. Sabe-se hoje que não existe grupo alimentar correto para se iniciar a alimentação complementar. Você tanto pode optar por começar pela refeição principal quanto pelas frutinhas!
Como nessa fase as crianças tendem a preferir sabores mais adocicados, se iniciarmos a alimentação do bebê pelas frutas, as chances dele rejeitar por mais tempo os alimentos de sabor mais neutro (como os da refeição principal ) são maiores.
A minha dica para as mamães e papais é de começar  pela refeição principal, iniciando com as hortaliças e gradativamente colocando os demais grupos alimentares (quadro 1).
E lembre-se sempre, a introdução alimentar deve ser lenta e gradual! Pode levar um tempinho até o bebê entender que os alimentos sólidos oferecidos para ele saciam e matam sua fome.
No início ele vai comer muito pouquinho e o leite ainda vai ser responsável por grande parte da sua nutrição. E tá tudo bem com isso. Afinal, ninguém aprende a ler, escrever ou andar de bicicleta de uma hora para outra, não é?
Respeitar o tempo do bebê: Essa é a chave!
Quando os pais e cuidadores entendem que cada bebê tem o seu ritmo deixam de se frustrar por ele está comendo pouco e a introdução alimentar acaba fluindo de maneira muito mais natural e tranquila para todos.

4) Bom exemplo é fundamental!

Os pais são espelhos para os seus filhos. Em todo processo de pais e mães que se preocupam em como iniciar a alimentação do bebê, às vezes é deixado de lado um pouco principal, que é “dar o exemplo.
Procure manter uma alimentação equilibrada e de qualidade em casa, para que o bebê tenha em você uma fonte de inspiração!
Aliás, prestar atenção nos hábitos alimentares da família como um todo é o melhor caminho para sempre fornecer as melhores escolhas para você e seus amados. Independente se são bebês, crianças, adolescentes ou adultos.
Eu sei como é difícil estar sempre à frente dessas escolhas, na correria do dia a dia, acabamos optando pelo mais prático. Mas, saiba que é fácil manter a alimentação de todos em dia ao rever alguns conceitos e crenças.

Aprenda mais sobre Alimentação Infantil

Aproveitando que estamos falando sobre alimentação infantil, deixo aqui também a indicação do programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil, criado pela Sophie Deram, nutricionista e autora aqui do blog, em parceria com a nutricionista Janaina Kühn.
A Sophie também é mãe de quatro filhos quis criar esse programa com o intuito de ajudar milhares de mães e pais de família que buscam uma alimentação equilibrada e fácil de levar no dia a dia.
São quatro módulos online, que você pode assistir quando estiver indo para o trabalho ou na academia, e que vão te ajudar a repensar a alimentação como uma parceira na sua vida e não uma vilã que só te estressa.
Quer saber mais sobre o programa? Clique aqui e saiba mais sobre o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.
Nota: As dicas deste citadas nesse artigo referem-se à introdução alimentar clássica, que é a recomendada pelo Ministério da Saúde e pela Sociedade Brasileira de Pediatria. Hoje em dia, existe uma outra linha sendo praticada no Brasil e em todo o mundo, que é o Baby-Led Weaning, ou “desmame guiado pelo bebê”, que será abordado em outros artigos aqui no site, combinado?

2 Comentários. Deixe novo

  • Boa tarde, tenho uma duvida.
    Meu bebê vai fazer 08 meses dia 26/07/19, porém desde os seis meses que venho tentando ensinar ele a comer frutas, legumes, verduras e etc. Só que ele não aceita nada, tudo que ele pega e põe na boca, vê que é comida joga fora e não põe na boca mais, estou trabalhando fora, e desde o dia 15 comecei a deixar ele com a minha mãe, tiro o leite e deixo lá pra ela dar, porém ele também não pega mamadeira, comprei da mais em conta a mais cara para testar, e nada dele aceitar, está de um jeito que ele começou até emagrecer, porque só mama quando chego pro almoço e a tarde, quando vamos colocar algum tipo de alimento na boca dele ou a mamadeira ele manda as mãozinhas e joga longe, nem brinquedo ele quer por perto, já manda as mãos, acho que pensa que seja comida… Não sei o que fazer, tento de tudo um pouco e nada, nada mesmo, ele não aceita.
    Você tem alguma dica que possa me ajudar ?

    Responder
    • Nathália Uliana
      25 de julho de 2019 9:57 am

      Olá Katianne, como vai?
      Nesse caso, sugiro que você busque ajuda de um profissional de saúde especializado.
      Em uma consulta presencial e com um acompanhamento será possível ter um atendimento individualizado. 😉
      Abraços,
      Nathália – Equipe Sophie

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Saúde Pro
Introdução Alimentar no Método Sophie

O medo da criança não estar com o peso adequado, dela não comer o suficiente, de não saber como oferecer os alimentos, somado à toda informação controversa encontrada nas redes sociais deixam os pais angustiados e perdidos. Saiba navegar esse período com segurança!
(O curso foi pensado para profissionais de saúde, mas pode ser beneficial para pais também)

Cursos e programas para você

Descubra uma nova abordagem da sua alimentação e mude sua vida com essa metodologia aplicada em 3 cursos especiais.

É colega de profissão?

Descubra uma nova abordagem da nutrição e mude seu atendimento a pacientes.

Artigos Relacionados

Menu