Por muito tempo, acreditou-se que sucos para bebês eram uma boa pedida do ponto de vista nutricional: práticos, gostosos e de fácil digestão. Mas, como eu sempre digo, a Nutrição não é uma ciência exata! Pelo contrário, é uma ciência que está em constante evolução, em busca de entender a melhor forma de alcançar a saúde por meio dos alimentos.

Recentemente, a American Academy of Pediatrics (AAP) divulgou uma nova recomendação desencorajando o consumo de sucos para bebês para menores de um ano de idade, reforçando, entre outros motivos, que o alto consumo pode aumentar o risco de problemas dentários e de ter excesso de peso.

Na verdade, nem mesmo depois dos 12 meses de vida o consumo é aconselhado! A ideia é  privilegiar a hidratação com água e o consumo das frutas in natura, incluindo os sucos de forma ocasional dentro de uma rotina alimentar de qualidade.

A princípio, esse tipo de orientação pode causar um certo estranhamento nas pessoas, e eu até compreendo. Afinal, frutas fazem bem, são cheias de vitaminas e minerais, certo? Então, sucos para bebês só podem fazer bem, certo?

Observo que, por trás disso, ainda existem crenças ou hábitos que vão passando de geração para geração, sem ninguém questionar muito. Muitas mães ainda acreditam que uma mamadeira com um suco refrescante e docinho pode acalmar o bebê e deixá-lo feliz quando ele está muito irritado.

E a partir dessa forma de pensar, muitos acabam cedendo aos sucos industrializados, que têm muito açúcar e pouco ou nada de fruta, e até mesmo refrigerante – há crianças tomando até na mamadeira!

Concordo plenamente com a posição da a AAP,  uma entidade importante e confiável.

É interessante estarmos abertos para aprender e tentar implementar bons hábitos alimentares. Especialmente na vida dos bebês menores de 12 meses, que estão numa fase tão rica de experimentação e formação do paladar. Para que a criança cresça saudável e mais aberta aos sabores dos alimentos naturais, não deveríamos mascarar o sabor verdadeiro das frutas oferecendo-as na forma de suco e com o uso excessivo de açúcar ou aditivos.

Por isso, vou te dar alguns motivos para oferecer água para hidratar, e fruta fresca para alimentar, no lugar de sucos para bebês! Vamos lá.

Veja 6 motivos para não dar sucos para bebês

1- Suco não substitui a fruta fresca

Mesmo os sucos para bebês naturais, só com fruta e água, não substituem a fruta fresca. No processo de triturar e coar, eles perdem boa parte das fibras e alguns nutrientes. Já quando falamos de sucos artificiais, piora um pouco, porque geralmente têm alto teor de açúcar, corantes, aromatizantes, e, às vezes, quase nada de fruta.

É preciso ficar atento também às promessas saudáveis que entram e saem de moda o tempo todo. Vejo mães que liberam o suco de uva integral para as crianças, por exemplo, sem restrição.

Não é porque é natural que é inofensivo! Este tipo de suco tem alta carga de frutose e a criança recebe essa quantidade enorme sem as fibras. Em termos de comparação: em um copo de 200 ml de refrigerante, tem cerca de 21 gramas de açúcar. É muita coisa. Na mesma quantidade do suco integral de uva, há marcas que chegam a concentrar mais de 40 gramas de açúcar.

Não estou dizendo que refrigerante é melhor que suco! Só estou mostrando o comparativo para mostrar que, bom mesmo, é água. Suco e refrigerante devem entrar como exceção, não como regra, e só depois do primeiro aninho de vida.

2- Beber calorias não é uma boa prática

Os sucos para bebês têm calorias, mesmo os naturais. Sendo assim, o alto consumo pode acabar gerando uma ingestão calórica muito alta. Eu gosto de usar o exemplo do suco de laranja: para um copo de 200 ml é preciso espremer no mínimo três laranjas.

Já pensou se o bebê aguentaria comer três laranjas de uma vez só? Com certeza não, porque quando mastigamos a fruta e suas fibras, nossa saciedade aumenta, por isso, para que a ingestão de frutas seja equilibrada, recomenda-se comer, e não tomar!

3- Falando em mastigação…

Antes dos 12 meses, a criança ainda está desenvolvendo suas habilidades de mastigação. Por isso é recomendável, no lugar de sucos para bebês, as papas doces.

Ou seja: oferecer a fruta amassada ou raspada. Assim, ela irá desenvolver essa prática e, de quebra, absorver todos os nutrientes da fruta fresca!

4- Gostar mais de suco do de que fruta não é bom!

O paladar da criança com menos de 12 meses está em plena formação, e o bebê já nasce com uma propensão maior para gostar de doce. Sendo assim, se você acostumar seu filho com sucos para bebês, que geralmente são mais docinhos e mais fáceis de consumir, pode ser que ele passe a rejeitar a fruta in natura.

E este tipo de comportamento é levado para a vida: quanto mais tarde, mais difícil de corrigir. Então, porque não estimular bons hábitos desde cedo?

5- Gostar mais de suco do que de água também não é bom!

O mesmo vale para a água. Se a criança sempre está acostumada a se hidratar com bebidas doces, tende a achar a água “sem graça”.

E isso é uma porta de entrada para passar a exigir bebidas cada vez mais doces, como sucos de caixinha e refrigerantes.

6- Sucos para bebês podem interferir no apetite

Por fim, vale ressaltar que sucos para bebês podem acabar interferindo nas refeições principais.

Se cada vez que o bebê chora, ganha um suco, dificilmente vai ter fome suficiente para aceitar as comidinhas oferecidas no horário das refeições  – que têm um conjunto de nutrientes importante para o seu desenvolvimento.

Ele precisa de grãos, raízes, verduras, frutas, carnes de todos os tipos, leite, água… mas sucos para bebês não são necessários. Se você quiser dar, prefira oferecer depois das refeições, assim, ele já estará saciado e não tomará em excesso!

Tarde para mudar?

Não se desespere se você já implantou esse hábito na alimentação do seu filho. Tente mudar gradativamente. Pode começar a misturar água no suco que você costuma oferecer, cada vez mais, para que ele vá “desapegando” do sabor doce.

Outra opção é oferecer a  água saborizada com ervas e frutas. Enfim, aos poucos, retome para o básico: água natural e fruta fresca. Essa fórmula não tem como dar errado!

Aliás, prestar atenção nos hábitos alimentares da família como um todo é o melhor caminho para sempre fornecer as melhores escolhas para você e seus amados.

Eu sei como é difícil estar sempre a frente dessas escolhas, na correria do dia a dia, acabamos optando pelo mais prático. Mas, saiba que é fácil manter a alimentação de todos em dia ao rever alguns conceitos e crenças.

Por isso, com o intuito de ajudar milhares de mães e pais de família que buscam uma alimentação equilibrada e fácil de levar no dia a dia, eu criei o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil em parceria com a nutricionista materno-infantil Janaina Kühn Barni.

São quatro módulos online que você pode assistir em casa, quando estiver indo para o trabalho ou na academia e que vão te ajudar a repensar a alimentação como uma parceira na sua vida e não uma vilã que só te estressa, e assim criar filhos em paz com a comida.

Vamos juntos nessa? Comece agora mesmo o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.

Bon appétit!

Agora que você já sabe porque sucos para bebês não é a melhor opção para mantê-lo hidratado, confira esses outros artigos que separei para você:

E você, quais opções está escolhendo para hidratar seus filhos? Compartilhe aqui comigo nos comentários sua experiência e dúvidas:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *