Você já deve ter ouvido falar que a gordura trans faz mal para nossa saúde. Mas, o que é gordura trans exatamente? Como identificá-la nos alimentos?

Essas e outras dúvidas sobre a gordura trans são comuns, apesar desse assunto aparecer com frequência na mídia.

O que nem todo mundo sabe é que, ao compreender o que é gordura trans, fica mais fácil escolher os alimentos que farão parte do dia a dia, de forma saudável e sem neuras. Falarei mais sobre isso a seguir.

Um pouco de química para entender o que é gordura trans

Simplificando, existem dois tipos de gordura insaturada: a cis e a trans. Esses nomes vêm da estrutura e do tipo de ligação química que a gordura apresenta – configuração cis ou trans da mesma molécula.

A gordura cis é a forma mais abundante na natureza e o nosso corpo está acostumado a processá-la.

A gordura trans pode estar presente naturalmente em alimentos in natura (como carne e leite) ou de maneira processada em produtos industrializados . A molécula de gordura trans é rígida e tem outras propriedades físicas, comparada à cis.

Apesar de estar presente em quantidades mínimas em alimentos naturais (derivada de uma via normal nos ruminantes), a gordura trans é consumida em maior quantidade com a ingestão alimentos ultraprocessados.

A criação das gorduras trans começou com o processo chamado “hidrogenação” no final do século 19, e o processo consiste em uma hidrogenação com altas temperaturas de gorduras vegetais e adição de átomos de hidrogênio a um composto orgânico. A gordura vegetal muda de estado de líquida para sólida.

Esse processo possibilitou a transformação de óleos vegetais (cis), líquidos e com risco de virar rançosos rapidamente em gorduras sólidas e estáveis à temperatura ambiente (trans): a margarina nasceu assim.

A partir daí, a gordura trans começou a ser utilizada pela indústria alimentícia para aumentar o prazo de validade dos produtos, para dar um aspecto crocante a biscoitos e frituras, para aumentar a cremosidade de maioneses e margarinas e melhorar a textura dos recheios de bombons, bolos e bolachas. Ou seja a gordura trans virou a estrela da indústria!

O comportamento da gordura trans no nosso corpo – devemos temê-la?

Os estudos apontam que nosso corpo não consegue lidar com a gordura trans tão bem. Como falei acima, o organismo está mais habilitado para processar a versão cis.

Diversos trabalhos científicos já confirmaram que a gordura trans tende a aumentar o risco de obstruir as artérias que conduzem o sangue dentro do nosso corpo, também aumentar o risco de elevar o colesterol total, especialmente a fração LDL (chamado de colesterol ruim), e reduzir o chamado “bom” colesterol (o HDL).

Mas, como digo sempre, nenhum alimento por si só tem o poder de causar uma doença. Com relação à gordura trans não é diferente, mas estamos de acordo que é melhor ficar sem! Hoje muitos países no mundo baniram essa gordura trans produzida industrialmente (por hidrogenação).

Uma pesquisa realizada no Canadá, em 2015, também constatou que as gorduras trans, provenientes da indústria, podem ter efeitos tóxicos no sistema cardiovascular, e o mais interessante é que verificaram que esses efeitos dependem dos tipos de gordura trans (natural ou da indústria), sua concentração (quantidade) e duração da exposição (frequência).

Dessa forma, comer meio pacote de biscoitos recheados que contêm gordura hidrogenada todos os dias, por exemplo, pode aumentar as chances desses efeitos relatados pelo estudo. Portanto, cuidado! E como sempre privilegie o consumo de alimentos in natura e deixe os processados como ocasionais.

Importante ressaltar que consumir de forma moderada alimentos como carne, leite e derivados que contém uma quantidade mínima de gordura trans natural parece não atrapalhar em nada a saúde.

Lembre-se que muitos fatores e a sua rotina habitual podem influenciar no desenvolvimento de doenças, ou seja, os hábitos diários são muito importantes e intimamente relacionados com a sua saúde .Então, vale a pena estar mais consciente no seu dia a dia: reduzir o consumo de alimentos industrializados que contém gordura trans pode ser uma boa atitude para sua saúde futura como falarei a seguir.

Leia os rótulos para diminuir o consumo de gordura trans!

A Organização Mundial de Saúde incluiu a eliminação do consumo de gordura trans industrial como uma das metas da Estratégia Global para Promoção da Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúde, desde 2004.

Alguns produtos alimentícios de fato diminuíram o seu percentual nos últimos anos, mas, no Brasil, a gordura trans não foi totalmente abolida das fórmulas.

Mesmo quando aparece escrito no rótulo “contém 0% de gordura trans” é possível sim ter esse tipo de gordura nos ingredientes. Isso foi comprovado por uma pesquisa realizada pelo IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) com cinquenta marcas de diferentes tipos de biscoitos doces e salgados.

Geralmente olhamos a tabela nutricional dos alimentos para sabermos detalhes sobre a composição do mesmo em relação ao tipo de gordura.

Porém, como a tabela nutricional indica apenas a quantidade por porção, no caso da gordura trans isso pode gerar uma certa confusão. Deixe explicar.

A lei brasileira é permissiva e estipulou que se houver até 0,5% de gordura trans na porção estipulada, o produto pode ser declarado “livre de gordura trans”. Isso levou muitas embalagens a diminuir o tamanho das porções anunciado no rótulo para chegar a menos de 0,5% e poder assim escrever que não tem essa gordura trans tão criticada.

A dica é privilegie os alimentos in natura e cozinhe! Agora quando for comprar um pacote de biscoito, vale a pena ficar atento à lista de ingredientes e não apenas à tabela nutricional dos alimentos industrializados.

Na lista de ingredientes a gordura trans é sinônimo de:

  • gordura parcialmente hidrogenada,
  • gordura vegetal parcialmente hidrogenada,
  • gordura vegetal hidrogenada,
  • óleo vegetal parcialmente hidrogenado,
  • óleo vegetal hidrogenado,
  • óleo hidrogenado,
  • gordura parcialmente hidrogenada e/ou interesterificada.

Ainda assim, se o termo for mais genérico como ‘gordura/creme vegetal’ ou às vezes só gordura (como a IDEC explicou), desconfie, pode ser que essa gordura também seja trans.

Veja também: Quais são os alimentos prejudiciais à saúde? Eles existem mesmo?

Priorize a qualidade dos alimentos para reduzir a gordura trans na sua rotina

A melhor estratégia para diminuir o consumo de gordura trans é apostando mais nos alimentos in natura e minimamente processados, bem como nas suas habilidades culinárias, conforme preconizado pelo Guia Alimentar para a População Brasileira.

Frutas, verduras e legumes fazem parte dessa categoria de alimentos, por exemplo, auxiliam no nosso bem-estar e saúde com ajuda comprovada no controle do colesterol e prevenção de diversas doenças, como doenças cardiovasculares, hipertensão ou mesmo o câncer.

Assim como, ao cozinhar, você saberá quais ingredientes irão compor a sua refeição. Cozinhar e comer comida fresca e caseira foi associado a menos risco de desenvolver do diabetes tipo 2.

E aí, vamos cozinhar mais?

Ainda não se sente tão à vontade para cozinhar? Não tem problema! Basta dar prioridade a lugares que ofereçam comida fresca a base de alimentos in natura, feita na hora.

Dessa forma, aumentando seu consumo de comida fresca e in natura, você irá automaticamente reduzir o consumo de ultraprocessados – incluindo os que contém gordura trans – sem sentir e sem neura. Comendo melhor e sem restrições, não é legal?

Então, que tal trocar o biscoito recheado do lanche da tarde por biscoitos feitos em casa? Ou por uma salada de frutas? Ou até mesmo pelo bolo da vovó?

Há uma infinidade de opções gostosas e saudáveis que podem ser preparadas em casa, aproveite!

Vale a pena estar mais consciente sobre o que é gordura trans, ficar atento aos rótulos dos alimentos, bem como fazer dos alimentos verdadeiros a base da alimentação e cozinhar mais. Essas atitudes simples vão garantir uma série de benefícios para o seu corpo.

Bon appétit!

Agora que você já sabe o que é gordura trans e como ela afeta sua saúde, veja esses outros conteúdos que separei para você:

E como você tem feito para ter uma alimentação saudável? Optar por alimentos frescos e cozinhar mais vai te ajudar nesse caminho. Mas saber compreender os sinais do corpo, como fome e saciedade, também é essencial para manter o seu peso saudável.

Todos os dias recebo pacientes que vêem a alimentação como um desafio, sempre em uma relação estressante e repleta de culpa. Para auxiliar dezenas de pessoas que passam pela mesma situação em todo o Brasil, eu criei o programa online Efeito Sophie. Quero te ajudar a fazer as pazes com a comida!

São seis semanas de vídeo aulas, atividades e exercícios online que vão te ajudar nesse processo. Comer deve ser prazeroso e sem culpa! Vamos juntos nessa? Conheça agora o programa online Efeito Sophie!

2 thoughts on “O que é gordura trans? Como identificá-la?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *