Nutricoaching

Guia prático: como fazer palestras sobre alimentação saudável

Realizar a educação alimentar e nutricional é uma das atribuições do nutricionista. Esta responsabilidade também pode ser desenvolvida por outros profissionais de saúde, desde que não se dirija a um público com um problema alimentar específico.

Existem diversas atividades de educação alimentar e nutricional que podem ser realizadas. Entre elas, um exemplo bem comum são as palestras sobre alimentação saudável.

Você sabe como realizá-las da melhor maneira?

Venha comigo e descubra!

8 dicas de como fazer palestras sobre alimentação saudável

1- Organize-se

Estar organizado é uma ótima dica para fazer palestras sobre alimentação saudável. É importante que esteja atento a alguns aspectos, como:

  • local da atividade;
  • a palestra será presencial ou online?;
  • qual o tempo disponível;
  • quais os materiais e recursos necessários.

Considere também o seu público, pois fazer palestras sobre alimentação para adultos é bem diferente do que para crianças. Sabendo disso, adapte o tempo e a linguagem.

Você também pode estabelecer intervalos e tentar interagir com as pessoas. Isso faz com que elas participem mais ativamente do momento e ele não se torne cansativo.

2- Considere os conhecimentos prévios dos participantes

Leve em consideração que o tema da alimentação saudável é bastante difundido nos meios de comunicação. Dessa forma, busque saber o que as pessoas sabem sobre o assunto, enaltecendo certos conhecimentos e desmistificando informações enganosas.

Por exemplo: muita gente acredita que uma alimentação saudável tem como foco e objetivo  perder peso, porém não é bem assim. Você, como profissional, pode tomar essa afirmação para mostrar que existem pessoas saudáveis de todos os tamanhos e formas.

3- Esteja atualizado quanto ao tema

Estude e atualize-se sobre o assunto. Você pode utilizar referências como o Guia Alimentar para a População Alimentar e os meus livros: “O Peso das Dietas” e  “Os 7 pilares da saúde alimentar”.

Em todas essas publicações perceberá que o foco da alimentação saudável é a variedade alimentar e o consumo de mais comida caseira e fresca. O intuito é mostrar como ela ajuda na qualidade de vida, bem-estar, fornecimento de energia e nutrientes para o bom funcionamento do nosso corpo.

Desmistifique a ideia de que é preciso contar calorias. Isso não determina a melhor qualidade dos alimentos, nem ajuda a emagrecer. Entenda mais no vídeo abaixo!

4- Considere a cultura alimentar

Não existe uma única forma de alimentação saudável. Portanto, você pode explorar diversos padrões e preferências alimentares, considerando a cultura alimentar do público com o qual você está falando.

Ao fazer palestras sobre alimentação saudável, o profissional pode deixar a cultura alimentar de fora. No entanto ela é muito importante em diversos aspectos, por exemplo:

  • para a nossa alimentação como um todo;
  • contribui para que determinados comportamentos transformem-se em verdadeiros hábitos.

Tente interagir com as pessoas para conhecer seus costumes, formas de preparo dos alimentos e significados.

5- Não classifique os alimentos como “bons” ou “ruins” 

Em vez de falar da alimentação saudável como uma divisão entre alimentos “bons” e “ruins”, considere que qualquer alimento pode fazer parte de uma alimentação saudável, desde que se considere as individualidades de cada pessoa, o contexto em que se come e a quantidade.

Por exemplo: alguém que sofre com a doença celíaca, necessita restringir o glúten. Nesse caso específico, comer um pão de trigo não será saudável.

O contexto em que se come também é muito importante. Tomar um sorvete no lugar de almoçar não parece ser a melhor opção. Porém, tomar um sorvete como sobremesa parece totalmente normal e comum.

Da mesma forma, pense na quantidade. A alface parece um alimento saudável e imagino que você concorda com essa afirmação.

Mas já pensou em comer um quilo de alface? Certamente é inviável e nada prazeroso.

O mesmo serve para o chocolate. Se você comer uma quantidade exorbitante provavelmente irá passar mal. No entanto, consumir uma porção menor pode ser considerado adequado e sem motivos para sentir culpa.

6- Seja positivo

Comer é uma experiência para ser desfrutada e celebrada. Ao fazer palestras sobre alimentação saudável use mensagens sobre os aspectos positivos da alimentação saudável.

Ou seja, em vez de falar para as pessoas não consumirem ultraprocessados, opte por sugerir que consumam mais comida fresca.

7- Capriche nas imagens 

A parte visual pode contribuir para explicações e chamar a atenção do público. Evite usar imagens de maçãs e frutas, preferindo aquelas que mostram variedade e diversidade alimentar. Também deixe de lado as imagens de fitas métricas e balanças, pois geralmente estão associadas a dietas e restrição alimentar.

8- Avalie

Ao fazer palestras sobre alimentação saudável é importante fazer uma avaliação. Peça o feedback dos participantes ao final, perguntando diretamente a eles o que acharam ou reservando um momento para escreverem suas percepções de forma anônima.

Você também pode fazer um questionário estruturado para que as pessoas dêem uma nota e possam fazer comentários. A partir disso, veja o que deu certo e o que pode ser repetido nas próximas palestras, o que não deu muito certo e pode ser aperfeiçoado.

Saiba mais!

Quer entender mais sobre como fazer palestras sobre alimentação? Tenho uma ótima notícia para você! Após muitos pedidos de profissionais de saúde que entraram em contato comigo, criei o curso Método Sophie. 

Ao publicar o livro O Peso das Dietas, notei uma necessidade de colegas da área de se atualizarem na ciência da nutrição. Seja em relação ao peso, obesidade e transtornos alimentares ou algo além como a área comportamental, que ainda não é estudada nas faculdades.

O meu objetivo é apresentar uma nutrição com ciência e consciência, fornecendo ferramentas para um atendimento mais humanizado. Com o foco, claro, na mudança do comportamento e na construção de uma relação mais saudável com a comida.

A propósito, tive a honra de formar centenas de profissionais de saúde em mais de 20 estados pelo Brasil. Entre eles estão: nutricionistas, médicos e psicólogos.

Veja no vídeo abaixo o que eles acham da minha metodologia.

Se você se identifica com essa linha de trabalho, não deixe de conferir mais informações sobre o curso abaixo:

→ Saiba mais informações sobre o curso!←

E se ainda não for o momento de fazer o curso, fique à vontade também para assistir uma das minhas próximas palestras ou, até mesmo, agendar uma consulta no meu escritório.

Referência

ALVARENGA, Marle et al. Nutrição Comportamental. 2.ed. Barueri – SP: Manole, 2019.

Gostou de entender mais sobre palestras sobre alimentação saudável? Então confira estes outros posts que separei para você!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Saúde PRO
Curso Método Sophie

Matricule-se no curso Método Sophie e atenda sem a imposição das dietas restritivas e segundo as bases científicas da neurociência do comportamento alimentar e da nutrigenômica, apoiado por mais de 40 ferramentas empregadas do coaching e da psicologia, entre outros.
Confira as próximas turmas (presencial e online)!

Cursos e programas para você

Descubra uma nova abordagem da sua alimentação e mude sua vida com essa metodologia aplicada em 3 cursos especiais.

É colega de profissão?

Descubra uma nova abordagem da nutrição e mude seu atendimento a pacientes.

Artigos Relacionados

Menu