Para alguns pode parecer normal, mas você já fez ou já se deparou com algumas dessas situações abaixo?

  • rotina inflexível de exercícios
  • potes de suplementos alimentares
  • alimentação “limpa” e restritiva
  • marmitas no cinema, na festa de casamento de amigos ou qualquer evento social
  • preocupação excessiva com a qualidade alimentar e com a forma de preparo de alimentos
  • horas de análise de rótulo de alimentos
  • isolamento social
  • ausência de prazer ao alimentar-se
  • culpa ao “furar” a dieta

Soou comum? Estes podem ser alguns dos sintomas de um novo transtorno alimentar que se delineia em nossa sociedade: a Ortorexia Nervosa. E a Vigorexia, conhece? Continue acompanhando:

Mas o que é ortorexia nervosa, qual seu significado?

O termo (do grego, ortho: correto; orexis: apetite) foi criado pelo médico americano Steven Bratman, autor do livro Health Food Junkies (Viciados em comida saudável), e foi usado pela primeira vez em 1996.

Ortorexia é um distúrbio do comportamento alimentar caracterizado pela preocupação obsessiva com a ingestão de alimentos saudáveis e “limpos” (livres de agrotóxicos, corantes, conservantes e de qualquer nutriente que se acredite ter o poder de provocar algum “mal” pra saúde). Essas restrições podem provocar deficiências nutricionais e desnutrição, sem contar os prejuízos sociais e psicológicos.

E como surgiu a ortorexia?

Eu acredito que este transtorno é um dos reflexos do que eu chamo de “terrorismo” nutricional, que é o excesso restrições e de informações nutricionais distorcidas e exageradas sobre o que pode ou não comer, sobre os benefícios e malefícios de determinados alimentos ou nutrientes.

É tanta informação e tanto “pode e não pode”, que as pessoas acabam ficando confusas e com medo de comer, com medo da comida.

Sentir medo da comida ou culpa ao comer não é normal, quer saber por quê? Veja nesse vídeo que fiz para meu canal:

Por trás desse medo da comida, muitas vezes, disfarçada de um “estilo de vida saudável” ou de preocupação e cuidado com a saúde, está a ortorexia.

O pior é que não para por aí.

Ainda como reflexo de uma sociedade que valoriza a beleza, a juventude e o corpo magro e malhado está o aumento na incidência de casos de vigorexia.

É essencial que você entenda que comida é muito mais que nutriente e energia e que embora ambos sejam importantes, são apenas um pequeno detalhe de uma grande parte da nossa vida que se chama ALIMENTAÇÃO.

Esta sim tem inúmeros significados que vão desde nutrir as células do nosso corpo, passando pelos hábitos, cultura, socialização, conexão, emoção, tradições, sabor, satisfação e pelo prazer.

Assim, a alimentação passeia por todos os aspectos da nossa vida, indo muito além do aspecto físico e garantindo saúde física, social e mental.

E a vigorexia, o que é?

O culto pela forma física não é uma exclusividade feminina. Jovens e adultos, obcecados em alcançar o “corpo perfeito”, podem estar sofrendo de um distúrbio psiquiátrico chamado de vigorexia ou dismorfia muscular, e é um subtipo de um transtorno psiquiátrico chamado de Transtorno Dismórfico Corporal (TDC).

A vigorexia está relacionada com a insatisfação corporal, onde o indivíduo treina obsessivamente em busca do ideal do corpo musculoso e sarado, mas nunca se enxerga “grande” o bastante.

Essa insatisfação corporal leva essas pessoas a treinarem cada vez mais pesado e mais intensamente, passando horas na academia e adotando dietas malucas, com muita proteína, suplementos e muitas vezes, fazendo o uso de anabolizantes e hormônios – o que pode trazer consequências negativas irreversíveis para a saúde.

A vida social, familiar e profissional também pode ficar bastante comprometida, uma vez que os vigoréxicos, obcecados com a forma física, tendem a isolarem-se a fim de intensificarem o treinamento.

Tanto a ortorexia quanto a vigorexia são condições que devem ser tratadas por profissionais especializados.

É muito importante que eu diga aqui que o cuidado com a alimentação, com a saúde e a prática de atividade física são essenciais para a boa qualidade de vida, porém, a busca incansável pelo corpo perfeito e a preocupação excessiva com a alimentação podem ser muito prejudiciais para a saúde física, social e mental.

O equilíbrio é a chave!

A chave está em mudar a sua relação com a comida e encontrar um equilíbrio. Ela não deve ser uma vilã no seu caminho e sim sua aliada. Comer deve ser um ato de prazer e não de culpa.

Esses aspectos e muitos outros fazem parte do meu programa online Efeito Sophie que está se espalhando pelo Brasil e Mundo!

Para ajudar milhares de pessoas que também vêem a alimentação como um desafio (seja para emagrecer ou ganhar peso saudável), eu criei o programa online Efeito Sophie. São seis semanas de vídeo aulas, materiais e atividades online para você colocar em prática no seu dia a dia e voltar a escutar os sinais do corpo como fome e saciedade.

Além de participar da nossa comunidade exclusiva onde poderá trocar ideias e aprendizados com pessoas que estão passando ou já passaram pelo Efeito Sophie.

Vamos juntos nessa? Será um processo gradual, sem estresses e no seu ritmo, mas com resultados duradouros. Se inscreva agora mesmo no programa online Efeito Sophie!

Bon appétit!

Agora que você sabe a diferença entre ortorexia e vigorexia, veja também esses outros artigos que separei para você:

E você, já conhecia os conceitos de Ortorexia e Vigorexia? Compartilhe comigo nos comentários abaixo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *