Nada melhor do que ser esperto! Por isso o provérbio “É melhor prevenir do que remediar”.
Eu trabalho muito com adolescentes e eu sei como é difícil saber quem escutar e o que fazer em relação a comer. Identifiquei sete dicas para te ajudar a crescer de maneira tranquila em relação ao seu corpo, ao seu peso e a alimentos. Assim, você não vai precisar de mim no futuro! ;)


1- O seu corpo é perfeito.
Cuide do seu corpo, é o único que você tem! Deixe ele crescer tranquilamente e ir até onde ele foi programado pelo seu DNA. Tenha confiança em você e no seu corpo. Sinta-o, ame-o, nutra-o, responda a ele e aprenda a escutá-lo. Na adolescência você vive a maior mudança do corpo da vida inteira. Essa mudança toma tempo! Seja paciente e acompanhe com carinho e saúde.

2- Na adolescência, meninos ganham músculos e meninas gordura. Não é injusto, é natural!
É normal para uma adolescente ganhar peso e gordura. É saudável. O corpo feminino se prepara para a maternidade, e os hormônios femininos precisam de gordura para ser produzidos. O adolescente ganha músculo pelo próprio efeito dos seus hormônios. Tudo isso é um processo que demora. É melhor deixar o corpo chegar lá aos pouco, sem forçá-lo com dietas restritivas, exercício puxado, suplementos ou hormônios.

3- Cuide do seu cérebro, é ele que controla tudo: emoções, mas também fome, saciedade e peso…
Sob estresse, o cérebro pode acionar os genes para armazenar gordura, porque ele associa gordura à proteção. Somos assim desde o tempo das cavernas, quando quem sobrevivia era quem tinha mais gordura. O cérebro responde a milhares de informações de fora e de dentro. O que estressa o seu cérebro? Tudo que manda mensagens para ele que você está em perigo : pode ser estresse mesmo, medicamentos, suplementos, alimentos não adequados ou falta de alimentos. Cuide do seu cérebro e escute a sua fome: você é dono da sua fome e ninguém pode sentir por você quanto que precisa comer.

4- Milagre não existe!
Não existem dietas, alimentos ou suplementos milagrosos! Diga não à dieta restritiva! Um dos maiores estresses para o cérebro é fazer dieta restritiva, especialmente durante o crescimento, caso a dieta provoque mudanças brutais de peso. 95% das dietas funcionam no começo e depois colocam você em risco de engordar mais e de desenvolver uma obsessão por alimentos. A balança não é sua amiga! Não foque no seu peso, mas sim no como você se sente. Seu peso não se estabilizou ainda e está “vivo”, sempre mudando. Seja esperto e procure não virar um produto da sociedade de consumo! Não confie em uma informação só. Sempre busque críticas do que você ouviu ou leu antes de tomar qualquer coisa.

5- Somos onívoros e precisamos de alimentação variada. Alimente bem o seu corpo, alimente bem seu cérebro, alimente bem sua alma! Capriche na qualidade! A alimentação é o maior fator que influência a saúde: os alimentos conversam com os seus genes. Coloque qualidade na boca, prefira alimentos mais naturais e evite excessos de processados. Sinta prazer ao comer. Sempre peça a orientação de um profissional antes de tomar suplementos. O corpo não funciona de modo tão simples como dizem. Não escute os que repetem que tudo é só uma questão de controle, de calcular calorias ou de fechar a boca e malhar. Tudo isso pode desligar você do seu corpo e das sensações de fome e saciedade. Não escute os mandamentos da sociedade para ser magro: não é mais bonito se não é saudável.

6-Mantenha a alegria de estar “no momento” (mindful).
Estar atento ao momento é um dom e você faz isso melhor do que os adultos. Infelizmente, é mais difícil resgatar isso quando nos envelhecemos. Você vai sentir saudades do seu corpo jovem um dia, então ame-o e cuide bem dele! Esforce-se para ser o melhor que você pode e não uma cópia da pessoa ao seu lado. Faça atividade física que te dá prazer e não te estressa. Confie na sua intuição e nos seus sentimentos interiores. Busque seu próprio poder.

7-Por fim, uma definição do comer bem.
Comer bem é comer quando está com fome e até ficar satisfeito, escolhendo alimentos que você gosta e não somente os que deveria comer. Claro que precisa incluir alimentos variados e saudáveis (nada melhor do que alimentos naturais), mas sem ser muito restritivo ao ponto de deixar de comer alimentos prazerosos.

Você pode se permitir de comer, às vezes, porque está feliz, ou triste, ou porque o prato é gostoso. Pode, às vezes, comer demais e se sentir estufado, ou desconfortável, ou também comer menos desejando ter comido mais. Confie no seu corpo, ele lida bem com errinhos de alimentação.

Sempre deixe de fazer outras coisas quando é o momento de comer, para dar tempo e atenção ao ato de comer, sem que fique uma obsessão do dia inteiro. Comer bem é comer de maneira flexível, variando e respeitando as nossas emoções, nossa agenda, nossa fome e nossa proximidade com o alimento. (adaptado de Satter, 1987)

Coma bem, divirta-se, cuide bem de você!
Bon appétit! Santé! Postado no BLOG do GENTA

6 thoughts on “7 dicas para você, jovem, nunca precisar de um nutricionista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *