Você prepara aquele prato gostoso, decora com uma carinha sorridente, faz aviãozinho, canta música…mas nada funciona. Não tem jeito, seu filho não quer comer. Na hora do desespero, muitos pais acreditam que a única saída para resolver esse impasse é começar a dar algum tipo de remédio para abrir o apetite do bebê.

Mas será que essa é, mesmo, a única saída?

Em primeiro lugar, se você está preocupado, vá a um médico pediatra antes de apostar em qualquer estratégia ou fazer qualquer mudança drástica na rotina alimentar dele. O seu pediatra vai poder dizer se o crescimento do seu filho está em um ritmo normal, e se existe algum motivo real para preocupações.Descartado qualquer problema mais sério, é hora de avaliar se essa angústia tem fundamento.

Eu entendo esse medo que toda mãe e pai sente do filho não estar comendo o suficiente. Mas, na maioria dos casos, trata-se de um excesso de preocupação e precaução.

Quando o bebê estiver com fome, ele provavelmente vai chorar, ou vai apontar para a comida, ou ficar mais irritado, colocar as mãos e pé na boca… enfim, essas são algumas formas que eles usam para pedir comida. Ao mesmo tempo, quando se sentem satisfeitos, eles param de comer. Simples assim!

Por isso, eu não recomendo o uso de remédio para abrir o apetite do bebê . Isso pode acabar desregulando os instintos de fome e saciedade, que estão afiadíssimos nos primeiros anos de vida.

E por mais que seja difícil confiar na fome do bebê, vale a pena fazer um esforço e não ceder à tentação das substituições, que geralmente incluem alimentos processados e ultraprocessados (mamadeira, farinhas, bolacha, iogurte, salgadinho, etc) no lugar das refeições completas e alimentos in natura.

Também não recomendo forçar o bebê a comer, pois isso pode gerar um estresse ainda maior. A “hora da papa”, que deveria ser um momento feliz, pode acabar virando uma verdadeira guerra.

Existe um estudo bastante interessante que confirma isso que estou dizendo, feito por pesquisadores da University of Illinois. Eles observaram que as mães que controlavam muito a ingestão de alimentos tinham crianças com uma menor capacidade de autorregular a própria fome.

Na conclusão da análise, eles pontuam que o melhor que os pais têm a fazer para um desenvolvimento saudável é oferecer comida de qualidade e uma alimentação equilibrada, porém, deixar que os pequenos assumam o controle do quanto consomem.

Respeite o biotipo do seu pequeno

Assim como é importante saber honrar a fome da criança, é fundamental respeitar seu biotipo. Muito da constituição corporal dela depende da estrutura corporal dos próprios pais. Por isso, cada criança é de um jeito – algumas mais esguias; outras, mais encorpadas.

Essa ideia de que o bebê só está com saúde se estiver gordinho é algo que nasceu há algumas décadas. Até os anos 90, o Brasil ainda tinha um índice de desnutrição infantil muito alto. Hoje, este quadro foi revertido e estamos migrando para o extremo oposto, com números de obesidade infantil crescendo a cada dia mais.

rotinas-prevenir-obesidade-infantil

Mas é fato que, naquela época, a única preocupação era fazer com que essas crianças comessem melhor! Houve um tempo que remédio para abrir o apetite do bebê era uma verdadeira febre, e os pais davam sem medo porque fazia parte do senso comum.

O famoso Biotônico Fontoura, que era um estimulante de apetite, fez parte da infância de muita gente, talvez até mesmo de adultos que hoje são pais e que acreditam que esse tipo de estratégia pode surtir algum efeito.

Mas os estudos na área de alimentação infantil evoluíram muito de lá para cá e, hoje, sabemos que ao invés de procurar  remédio para abrir o apetite do bebê, é preciso reavaliar os hábitos de alimentação de toda a família.

Vamos explorar um pouco essa questão?

Remédio para abrir o apetite do bebê x mudança de hábitos

Gostaria de falar um pouco sobre os aspectos que vão além da quantidade que o seu filho está comendo. Precisamos focar mais na qualidade e, ao mesmo tempo, no comportamento da própria criança e dos familiares na alimentação.

Será que existe algum hábito no “piloto-automático” que pode estar influenciando esse desinteresse do seu filho na hora de comer? Proponho que, antes de sair comprando remédio para abrir o apetite do bebê, você avalie 3 questões:

→ Variedade/Qualidade

Na sua casa, a oferta de alimentos in natura é rica?

Nessa fase, especialmente, é interessante que o seu filho tenha acesso à muita variedade de frutas, verduras, legumes, grãos e carnes de todos os tipos, ovos, etc.

Isso porque ele está em plena formação do paladar! Está curioso para conhecer novos sabores. Se ficar na mesmice, comendo todos os dias as mesmas coisas, pode ser que perca o interesse mesmo. E isso nos leva à uma segunda questão.

→ O poder do exemplo

Como anda a alimentação dos adultos na sua casa?

Não adianta exigir que o filho coma de tudo se os pais não fazem o mesmo. Uma estratégia mais eficaz do que remédio para abrir o apetite do bebê é sentar juntos à mesa, para um momento gostoso e tranquilo.

dicas de alimentação saudável para crianças

Ao ver os pais comendo, a chance de ela ficar com vontade de experimentar é muito maior. Os hábitos e preferências da criança vão ser moldados de acordo com o grupo social do qual ela faz parte.

→ O tempo do bebê

Vale lembrar também que a criança precisa de um tempo para entender tanta novidade! Às vezes, os pais já se sentem desanimados na primeira ou segunda recusa. Isso gera uma frustração e até um certo cansaço. Muitos preferem colocar outro alimento no lugar, entendendo que a criança simplesmente não gostou e que é melhor não forçar.

Mas é o contrário!

Diante da recusa, é preciso insistir outras vezes. Ofereça a mesma coisa num outro dia, preparado de outro jeito, em um prato diferente. E evite “mascarar” o alimento, misturando bastante ou escondendo no meio da comida. A interação é importante: tato, olfato, visão…tudo está aguçado para registrar novos aprendizados.

Fique tranquilo: estudos mostram que algumas crianças precisam provar a mesma coisa até oito a quinze vezes para passar a gostar.

Então, tenha paciência. Vai valer a pena!

E aí, já mudou de ideia sobre os remédios para abrir apetite infantil ?

Por fim, entenda que se o seu filho está apresentando um crescimento e um desenvolvimento adequado, sendo acompanhado pelo pediatra, não há necessidade de dar remédio para abrir o apetite.

Procure, no lugar disso, reavaliar os hábitos alimentares de toda a família e aproveitar este momento para construir uma relação tranquila com a comida, isto é, o comer normal, como explicado no vídeo abaixo.

Bon appétit!

Referências

Aprenda mais sobre Alimentação Infantil

Aproveitando que estamos falando sobre alimentação infantil, deixo aqui também a indicação do programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil, criado por mim,  Sophie Deram, nutricionista e autora aqui do blog, em parceria com a nutricionista Janaina Kühn

Sou mãe de quatro filhos e quis criar esse programa com o intuito de ajudar milhares de mães e pais de família que buscam uma alimentação equilibrada e fácil de levar no dia a dia.

São quatro módulos online, que você pode assistir quando estiver indo para o trabalho ou na academia, e que vão te ajudar a repensar a alimentação como uma parceira na sua vida e não uma vilã que só te estressa.

Quer saber mais sobre o programa? Clique aqui e saiba mais sobre o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.

Se você gostou dessa leitura, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

2 thoughts on “Remédio para abrir apetite do bebê: Tudo o que você precisa saber

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *