Muitos pais e mães chegam ao consultório do nutricionista ou pediatra com uma aflição em comum: “meu bebê não quer comer papinha salgada”. Se sentem perdidos diante dessa recusa, principalmente por conta de dois motivos bastante frequentes.

1. O primeiro tem a ver com aquelas crianças que mamam bastante. Muitos pais pensam que o filho vai aceitar bem as refeições salgadas logo de início, uma vez que não dão trabalho na hora de tomar a mamadeira ou o leite materno.

Mas nem sempre é assim.

2. Já o segundo acontece, de um modo geral, por volta da chegada do primeiro aninho. Ao longo dos 12 primeiros meses de vida, a criança vem em um ritmo acelerado de crescimento, então, o metabolismo está a mil por hora! Sentem fome e aceitam mais a comida.

Ao final desse período, pode haver uma redução do apetite justamente pela diminuição da velocidade do crescimento.

Hoje, reuni algumas dicas que podem ajudar já está sofrendo com a falta de apetite do bebê. Elas também podem ser muito úteis para quem tem filho com menos de um ano, logo ainda tem tempo de se preparar melhor para a chegada dessa fase.

Vamos nessa?

Comida é para matar a fome?

As crianças demoram um tempo para entender que a comida é feita para alimentar, e que a papinha vai resolver a sensação de fome que ela está sentindo.

Tudo é novo, então, tenha paciência se o seu bebê não quer comer papinha salgada.

Pode ser que o bebê só precise de mais tempo para se ajustar a essa nova fase. Ele já sabe que o leite materno mata a fome, mas precisa de um certo tempinho para entender que a comida tem o mesmo efeito.

Nesse ponto, seria interessante que ele veja os pais comendo também, assim, pode assimilar com mais facilidade.

Ambiente tem que ser confortável!

Bom, outro aspecto a ser investigado entre pais e mães que têm a queixa: “meu bebê não quer comer papinha salgada” é sobre o ambiente e as condições em que a criança é alimentada.

As pessoas tendem a pensar primeiro nos fatores ligados à comida:

  • Será que meu filho é muito seletivo?
  • Será que tem algum problema de apetite?
  • Ou será que ele não gosta do sabor da minha comida?

Esses primeiros pensamentos podem até fazer certo sentido.

Afinal, a forma como a comida é apresentada e o sabor dos alimentos é muito importante, conforme vou explicar nos próximos tópicos deste artigo.

Mas tem outros elementos que precisam ser levados em consideração, especialmente os ligados ao conforto da criança.

  • Ela gosta de ficar sentada no cadeirão?
  • Ou prefere comer no colo ou em outro lugar?
  • Está confortável em comer com a colher?
  • O lugar tem muito barulho, muitas distrações que podem irritá-lo e tirar o foco da refeição?
  • Está muito calor ou muito frio?
  • O bebê dormiu o suficiente?

Enfim, existem várias outras coisinhas que podem estressar a criança, e nem sempre é fácil de identificar já que muitas ainda não falam.

De qualquer forma, seria bom prestar atenção em todos esses detalhes antes de imaginar que seu bebê não quer comer papinha salgada. Essa pequena mudança poderá melhorar sua experiência diante da situação.

Tem alguém com fome aí?

Outra coisa importante é ter em mente que nem sempre o bebê vai estar com fome na hora que você quer que ele coma.

Como eu disse no começo do texto, o fato de o bebê mamar bem e aceitar o peito/mamadeira não significa que ele sempre vai estar com fome e pronto para as demais refeições.

É importante prestar atenção nesse ponto também para não alimentar seu bebê em excesso nem, privá-lo de forma restritiva, talvez criando um fator que pode desregular o peso e levar à risco de excesso de peso ou até de obesidade infantil, assunto que discuto em detalhes na palestra abaixo:

Mas se e você tem dúvidas sobre alimentação do seu bebê e sobre a quantidade que ele está comendo, talvez seja interessante resolvê-las com o nutricionista e/ou pediatra que fazem o acompanhamento do bebê.

Seu bebê não quer comer papinha salgada, ainda mais se for gororoba!

Para finalizar, quero falar um pouco sobre a apresentação e o sabor da papinha.

Quando você oferece todos os alimentos misturados, ele não consegue identificar as características sensoriais, que vão fazer toda a diferença na forma como ele vai interpretar estes alimentos.

Legenda: os alimentos todos misturados não são atrativos para o bebê.

Alguns bebês aceitam tudo muito bem nos primeiros 12 meses – até a gororoba! – porque, como eu disse, estão com o metabolismo acelerado e com muita fome!

Mas ao completar um aninho, esse apetite tende a diminuir e a criança tende a ficar mais seletiva.

É nessa fase que os pais e mães ficam em uma “sinuca de bico”. Porque nessa etapa o bebê já pode ficar enjoado da papinha salgada, e, ao mesmo tempo, pode recusar os alimentos novos, simplesmente porque ele não os conhece. Não sabe diferenciar os sabores.

Então, uma dica de ouro para resolver este problema do bebê que não quer comer papinha salgada é: criatividade!

Não precisa ser nada muito complexo ou super elaborado, mas é importante que o seu filho tenha contato com as cores, texturas e sabores separadamente.

Dessa forma, ele vai registrar na memória gustativa tudo de forma individual. E ele vai ficar interessado pela comida antes mesmo de colocar na boca.

Isso é ótimo porque, quando ele for incluído na alimentação normal da família, e tiver contato com os alimentos separados, já vai estar familiarizado com a aparência, com a cor e com o sabor.

Assim, tudo flui de forma mais natural!

Deixo aqui uma inspiração de um prato que a nossa especialista Gabriella Villas Boas fez. Invente o seu!

papinhas salgadas para bebês

Foto: Gabriella Villas Bôas

Estamos trabalhando em vários artigos sobre introdução alimentar e vamos ter receitas deliciosas para você que está preocupada porque seu bebê não quer comer papinha salgada.

Vamos falar de planejamento, de organização na cozinha e também dar dicas de combinações para que você consiga aguçar o paladar do seu filhote.

Fique de olho nas novidades do blog aqui e também do meu blog  Nutrição Sem Neura na UOL!

Aprenda mais sobre Alimentação Infantil

Aproveitando que estamos falando sobre alimentação infantil, deixo aqui também a indicação do programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil, criado por mim em parceria com a nutricionista Janaina Kühn.

Eu também sou mãe de quatro filhos e quis criar esse programa com o intuito de ajudar milhares de mães e pais de família que buscam uma alimentação equilibrada e fácil de levar no dia a dia.

São quatro módulos online, que você pode assistir quando estiver indo para o trabalho ou na academia, e que vão te ajudar a repensar a alimentação como uma parceira na sua vida e não uma vilã que só te estressa.

Quer saber mais sobre o programa? Clique aqui e saiba mais sobre o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.

Se você gostou dessa leitura, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *