Após o primeiro ano de vida, é bastante comum os pequenos ficarem mais seletivos com os alimentos. Por isso, é comum ouvirmos a frase: “Socorro! Meu bebê de 1 ano não quer comer!”. Se você faz parte desse grupo, não se preocupe. É possível ultrapassar essa fase de forma mais tranquila, a partir de pequenas adaptações na rotina da casa.

Se você tem o privilégio de poder se dedicar à educação alimentar do seu filho (incluindo como iniciar a alimentação do bebê), a hora é agora! Porque essas primeiras interações com a comida pode trazer boas consequências lá na frente, como um bom desenvolvimento e uma relação tranquila com o corpo e com o ato de comer.

Mas também sei que muitos pais se queixam da falta de tempo para se entregar a essa tarefa. A maioria não consegue estar presente o dia todo ou oferecer 100% de atenção em todas as refeições. Nesses casos, uma boa saída é alinhar com cuidadores – avós, professores, babás e outros – as melhores táticas na “hora da papinha”.

Antes de mais nada, é importante que as pessoas que estão nessa “missão” de fazer o filho voltar a comer saibam que este tipo de comportamento é absolutamente normal.

Até por uma questão fisiológica – após os 12 meses, a velocidade do crescimento e o ganho de peso caem. E, com isso, ocorre uma diminuição na ingestão de calorias.

Então, a primeira coisa a se fazer é respirar fundo, ter calma, paciência e persistência! E, a partir disso, reavaliar todos os aspectos que podem gerar a falta de apetite do seu filhote.

E é exatamente isso que abordaremos nesse artigo!

O que fazer quando o bebê não quer comer?

Um comportamento recorrente entre os pais que reclamam que o bebê de 1 ano não quer comer é o desespero e o medo de a criança ficar com fome e mal nutrida.

Isso os leva a oferecer várias outras coisas no lugar da refeição. “É melhor qualquer coisa do que não comer nada”, muitos pensam.

Errado!

Saiba que é muito melhor para a saúde do seu bebê que ele coma alimentos nutritivos em pequena quantidade, do que guloseimas e alimentos processados e ultraprocessados em grande quantidade.

Como eu sempre digo: a qualidade é mais importante do que a quantidade, especialmente quando falamos sobre alimentação infantil.

Então, vamos a algumas dicas práticas.

Meu bebê de 1 ano não quer comer: dicas

Quando falamos em alimentação infantil, o foco geralmente se volta para os nutrientes. Mas hoje já sabemos que não é só o que a criança come que importa, mas também como ela come também.

Nesse sentido, se você observar que o bebê de 1 ano não quer comer, e a hora das refeições se tornou uma verdadeira batalha, seria interessante analisar todo o contexto em que ele está inserido.

O ambiente importa, assim como a interação do cuidador com a criança e até mesmo o contexto social em que essa criança está inserida. Então, vamos por partes com alguns aspectos importantes que devem ser considerados, especialmente durante essa fase.

1. Atenção ao tamanho das porções

As crianças nascem com o sinal de fome e saciedade bastante aguçados. No entanto, muitos pais não conseguem acreditar nisso e confiar nessa percepção da criança. Isso pode acabar virando um problema no futuro.

Veja bem, se seu filho se recusa a continuar comendo e você insiste em falar: “raspe o prato”,  ele pode entender que aquele sinal interno de saciedade tem menos importância do que a sua palavra.

E assim, vai se distanciando desse sinal tão importante, até que passa a comer de acordo com estímulos externos, não mais respeitando a própria fome.

Então, se o bebê de 1 ano não quer comer, nem sempre é frescura, birra ou manha. Pode ser somente uma sensação de plenitude mesmo!

2. Dê uma nova cara aquele alimento que “não entra” de jeito nenhum

É preciso ter em mente que tudo é novo para as crianças, então, é normal que elas tenham certa desconfiança ou não estejam abertas para provar determinados alimentos.

Então, se o problema é o brócolis, por exemplo, tente colocá-lo numa tigelinha pequena, ou numa colher, ao invés de oferecer um prato cheio do alimento.

Isso “assusta” menos.

Você pode também combinar o brócolis com outro alimento que a criança gosta; ou, ainda, inovar em preparações diferentes. Por exemplo: no meio do arroz, como uma sopa cremosa, junto com uma carne de panela, picadinho no meio do ovo mexido, etc.

Alguns estudos mostram que as crianças precisam provar várias vezes e até mais de 10 vezes o mesmo alimento de recusa até aceitarem o sabor.

Não desista!

3. O ambiente importa!

Se o seu bebê de 1 ano não quer comer, seria interessante também avaliar o ambiente e o contexto em que as refeições são oferecidas.

Se há muito estímulo (celular, televisão, música alta, tablet, computador, etc.) ela pode perder o interesse pela comida facilmente, ou, ainda, comer mais do que precisa por estar distraída.

É importante também que a criança se sinta confortável, então, verifique se a comida é oferecida em um local adequado e se o bebê está se sentindo irritado por outros motivos (frio ou calor, por exemplo).

4. Tenha uma atitude positiva

Junto com o ambiente, também vem a recomendação sobre a interação dos pais com o bebê de 1 ano que não quer comer.

Brigas, ameaças ou chantagens não funcionam e, no longo prazo, acabam fazendo com que a criança associe o momento das refeições a algo estressante e cansativo.

O ideal é tentar manter a criatividade e o bom humor, usando palavras de incentivo. Procure manter contato visual, converse com a criança e esteja atento durante essa tarefa.

Dessa forma, fica mais fácil identificar quando seu filho estiver satisfeito. Isso exige tempo e paciência, é fato.

Mas os resultados são bastante significativos.

5. Estimule, desde cedo, uma boa relação com os alimentos

Como dito acima, chantagem não funciona.

E, aqui, explico por quê.

Os alimentos mais calóricos geralmente são mais aceitos, porque causam um prazer de comer e uma sensação de saciedade quase que imediata.

Se você diz: “meu bebê de 1 ano não quer comer”, mas, a cada recusa de um alimento menos estimulante ao paladar (como os vegetais, por exemplo), você cede e oferece algo no lugar (como um iogurte adoçado, ou uma mamadeira de leite com achocolatado), que mensagem estará passando para ele?

De que os vegetais são ruins, mas que, se ele não quiser, ganhará outra coisa no lugar.

O mesmo vale para sobremesa. Quantas mães falam: “só vai ganhar sobremesa se comer tudo”, como se a refeição fosse um castigo e, o doce, uma recompensa.

Então, procure quebrar esse ciclo logo cedo.

Em outras palavras, incentive o seu filho a gostar do sabor natural das coisas, sem carregar no açúcar, nem no sal.

Hidrate-o com água, e não com sucos ou refrigerantes. Capriche na variedade de frutas, verduras, legumes e grãos. É assim que se cria um paladar rico e diversificado!

6. Estimule os cinco sentidos

Por fim, recomendo que você encoraje seu filho, desde pequenininho, a interagir com os alimentos. Deixe que ele toque com as próprias mãozinhas as frutas, os legumes.

Com um ano, pode ser que ele esteja em processo de neofobia (a recusa de novos alimentos), mas, ao mesmo tempo, essa é uma fase de muita curiosidade.

Então, estimule-o com as cores, com os aromas e texturas. Isso aguçará ainda mais esse olhar curioso que todos os bebês trazem!

Quer mais dicas sobre esse assunto? Assista ao vídeo do meu canal e se gostar, se inscreva para acompanhar os novos vídeos.

Bon appétit!

Referências

Aprenda mais sobre Alimentação Infantil

Aproveitando que estamos falando sobre alimentação infantil, deixo aqui também a indicação do programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil, criado por mim, Sophie Deram, nutricionista e autora aqui do blog, em parceria com a nutricionista Janaina Kühn.

Eu sou mãe de quatro filhos e criei esse programa com o intuito de ajudar milhares de mães e pais de família que buscam uma alimentação equilibrada e fácil de levar no dia a dia.

São quatro módulos online, que você pode assistir quando estiver indo para o trabalho ou na academia, e que vão te ajudar a repensar a alimentação como uma parceira na sua vida e não uma vilã que só te estressa.

Quer saber mais sobre o programa? Clique aqui e saiba mais sobre o programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.

Se você gostou dessa leitura, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

15 thoughts on “Meu bebê de 1 ano não quer comer. O que eu faço, doutora?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *