Tenha em mente que variedade e qualidade importam bem mais do que quantidade, e essa dica vale não só para as crianças, mas para os adultos também. Sendo assim, se você busca alimentos calóricos para o bebê ganhar peso, o ideal seria esquecer as calorias, e focar em uma oferta mais diversificada.

Que tal experimentar coisas novas, que você não tem o hábito de comprar?

A abundância de frutas, legumes, verduras e grãos disponíveis no Brasil é enorme. Procure também variar os tipos e cortes de carne (frango, carne bovina e peixe), além de ovos, leite, iogurte natural e derivados.

Se o seu filho torce o nariz para determinado alimento, tente oferecê-lo de outra forma.

Ele está em uma fase de descoberta e vai adorar se deparar com novas cores, temperaturas e texturas. Os bebês, em alguns casos, precisam provar de 8 a 10 vezes o mesmo alimento para formar uma opinião sobre ele.

Eu sei que tudo isso requer mais tempo e dá mais trabalho do que comprar produtos prontos – que, geralmente, são mais calóricos, mais carregados de açúcar e gordura e agradam mais o paladar.

Mas a introdução alimentar é uma missão importante, que pode gerar muitos bons frutos na saúde em toda infância, adolescência e vida adulta.

Antes mesmo de começar a entrar em detalhes, tenho quatro dicas para te dar que vale para todo mundo!

Alimentos calóricos para seu bebê ganhar peso: faça boas escolhas

Por isso falei lá em cima de escolhas! Alguns estudos têm mostrado que a forma como os pais se relacionam com a comida influencia diretamente as crianças.

Um bom exemplo para ilustrar o que estou dizendo são as bebidas adoçadas.

Os rótulos realmente são tentadores – muitos trazem uma lista de benefícios sobre fibras e vitaminas adicionadas. E fora que as crianças geralmente adoram, justamente por conta do excesso de açúcar. Hoje em dia vemos, infelizmente, até crianças mamando refrigerante na mamadeira.

É claro que uma mãe ou um pai que está preocupado em encontrar alimentos calóricos para o bebê ganhar peso pode achar que é melhor oferecer um leite com cereais infantis, um suco de caixinha, um iogurte saborizado ou um achocolatado pronto do que não comer nada. Certo?

O problema é que as bebidas açucaradas muitas vezes são carregadas de açúcares e não são tão interessantes do ponto de vista nutricional.

Assim, você vai conseguir dar um alimento calórico para os eu filho, porém não de qualidade.

Deu para entender?

Além disso, essas bebidas não trazem a mesma sensação de saciedade do que os alimentos sólidos. No longo prazo, isso pode causar o efeito contrário do esperado, ou seja: aumentar o risco de ganho de peso (obesidade infantil) das crianças que consomem esse tipo de bebida em excesso.

Usei o exemplo dos sucos, refrigerantes e iogurtes saborizados porque sabemos que o consumo no Brasil é bastante alto, e, ao passo que os adultos compram e consomem, as crianças seguem a mesma linha.

Mas isso também vale para as bolachas recheadas, bolos industrializados, salgadinhos, pratos congelados, molhos prontos, sorvetes, sopa ou macarrão instantâneo e outros alimentos que parecem soluções calóricas e rápidas, mas que oferecem pouca qualidade, poucos nutrientes.

O ideal é acostumar o paladar dos pequenos desde cedo com os sabores mais naturais, e, dessa forma, vai ficar mais fácil manter uma alimentação saudável nos anos seguintes. Tenha um pouco de trabalho agora, e colha os frutos depois!

Confie no seu bebê

Finalmente, gostaria de avisar às mamães e papais preocupados com o crescimento das suas crias: cada criança tem um biotipo, e isso tem que ser respeitado. O bebê possui um instinto de autorregulação muito afiado.

Muitas vezes, julgamos que ele come pouco porque usamos a quantidade que nós comemos como parâmetro.

Mas o bebê sabe exatamente o quanto precisa comer.

Sendo assim, se ele está em um ritmo de desenvolvimento adequado, feliz e brincando, não há necessidade de se preocupar e de fazer com que ele engorde.

Mas ninguém conhece melhor o filho do que os próprios pais! Se você achar que tem algo de errado, consulte o seu pediatra e verifique se tem algum problema de crescimento ou saúde impedindo esse ganho de peso.

Se qualquer problema for descartado, aprenda a confiar no seu bebê. Ele saberá controlar o próprio apetite.

O seu papel é simplesmente oferecer comida de qualidade, de todos os grupos alimentares, em horários regulares, cumprindo uma certa rotina. Ele vai saber pedir comida quando sentir fome, e parar quando se sentir saciado!

Respeite esses sinais porque isso, com certeza, vai permitir que ele desenvolva desde cedo uma relação tranquila com a comida, o que chamo de comer normal no vídeo a seguir para completar o texto:

Para aprender mais…

Esse entendimento sobre o desenvolvimento da criança alivia dúvidas que são muito comuns em pais e mães de primeira viagem que chegam ao meu consultório.

Pensando em ajudar papais e mamães, eu idealizei junto com a nutricionista Janaina Kühn Barni – especialista em Nutrição Materno Infantil – um programa online Efeito Sophie na Alimentação Infantil.

São quatro semanas de vídeos, exercícios e atividades online que vão ajudar você e sua família a ter uma relação melhor com a comida, em paz e sem estresse.

Confira agora o Efeito Sophie na Alimentação Infantil!

Bon appétit!

Referências

Se você gostou dessa leitura, provavelmente vai gostar destas aqui que separei para você:

12 thoughts on “Saiba mais sobre alimentos calóricos para bebê ganhar peso: quais os melhores?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *